Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de suplementação proteica na longevidade e expressão de gene relacionado ao sistema de detoxificação de abelhas Apis mellifera expostas à dose letal do agrotóxico Fipronil

Processo: 17/24941-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo de Oliveira Orsi
Beneficiário:Bianca Gomes Sassaki
Instituição Sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Apicultura   Abelhas   Apis mellifera   Proteínas   Toxinas   Longevidade   Agrotóxicos   Dose de radiação   Suplementos proteicos para animais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Apicultura | Nutrição | proteína | suplementação | Apicultura

Resumo

Estudos têm demonstrado que a suplementação proteica pode aumentar a quantidade de proteínas na hemolinfa das abelhas e melhorar sua resistência à contaminação por agrotóxicos, como o fipronil. Desta forma, o objetivo da presente proposta é avaliar o efeito da suplementação proteica na longevidade e expressão de gene relacionado ao sistema de detoxificação de abelhas Apis mellifera expostas à dose letal do agrotóxico Fipronil. Para isso, serão realizados dois experimentos para avaliar o efeito da suplementação proteica durante o desenvolvimento larval (E1) e durante os seis primeiros dias de vida adulta (E2). Para o E1 serão utilizadas 06 colmeias distribuídas nos seguintes tratamentos: T1 Controle - sem suplementação proteica; e T2 - ração com 25% de proteína bruta que será oferecida semanalmente na quantidade de 200g/colônia. Quatro semanas após o início da suplementação proteica, abelhas recém-emergidas serão marcadas com caneta atóxica e reintroduzidas em colmeias de observação contendo um quadro com cria aberta e rainha, de seus respectivos enxames. No sexto dia após a reintrodução, será fornecido xarope de açúcar contendo ou não a DL50% do agrotóxico fipronil (0,009±0,003¼g/abelha). Após 12 e 24 horas, 10 abelhas marcadas serão recapturadas em cada colmeia de observação, imediatamente congeladas para a extração do RNA e avaliação da expressão do gene citocromo P450. As demais abelhas serão avaliadas para a obtenção da longevidade, com registro diário da mortalidade. A proteína será quantificada pelo método de Bradford, com leitura em espectrofotômetro a 595 nm, utilizando albumina sérica bovina como padrão. Para o E2, abelhas recém emergidas de seis enxames mantidos sob alimentação natural (sem suplementação) serão marcadas, reintroduzidas em colmeias de observação contendo um quadro com cria aberta e rainha, de seus respectivos enxames, e submetidas aos mesmos tratamentos do E1, pelo período de seis dias. Após, será fornecido xarope de açúcar contendo ou não a DL50% do agrotóxico fipronil (0,009±0,003¼g/abelha). A colheita das abelhas, os procedimentos de análise de expressão de gene e a longevidade serão os mesmos descritos anteriormente. Os resultados serão avaliados por meio do teste t de Student e serão considerados estatisticamente diferentes quando P<0,05. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)