Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa do proteoma de membrana de promastigotas das cepas PH8 e LV79 de l. (l.) amazonensis

Processo: 17/26197-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Acordo de Cooperação: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Beatriz Simonsen Stolf
Beneficiário:Fabia Tomie Tano
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de virulência   Leishmaniose
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:) amazonensis | Fatores de virulência | (L | L | Promastigota | Proteoma de membrana | Leishmaniose

Resumo

A leishmaniose, complexo de doenças causadas pelo parasito do gênero Leishmania, é endêmica em 98 países e possui incidência anual estimada de mais de 1 milhão de casos. A infecção pode se manifestar de diversas formas clínicas, que são agrupadas em cutânea, mucocutânea e visceral. No Brasil, três espécies dermotrópicas são predominantes, L. (V.) braziliensis, L.(V.) guyanensis e L.(L.) amazonensis. Durante seu ciclo de vida, o parasito se apresenta na forma extracelular promastigota transmitida pelo inseto vetor e amastigota intracelular no hospedeiro vertebrado. Os parasitos expressam diversos fatores de virulência que influenciam em sua sobrevivência e infectividade. Os amastigotas das cepas PH8 e LV79 de L. (L.) amazonensis possuem diferenças na virulência em camundongos e na expressão proteica. In vitro, os promastigotas da cepa PH8 têm maior adesão a macrófagos e maior internalização após um curto período de interação. A análise e comparação de proteomas de Leishmania tem sido primordial para definir as proteínas envolvidas na virulência do parasito. Por isso, este projeto tem como objetivo comparar o proteoma de membrana de promastigotas das cepas PH8 e LV79 e identificar proteínas possivelmente responsáveis pela diferença de fagocitose e infectividade entre elas. Posteriormente, a importância desses fatores de virulência será avaliada por meio de sua superexpressão em promastigotas da cepa LV79, seguida de ensaio de infecção in vitro em macrófagos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAPELLI-PEIXOTO, JANAINA; MULE, SIMON NGAO; TANO, FABIA TOMIE; PALMISANO, GIUSEPPE; STOLF, BEATRIZ SIMONSEN. Proteomics and Leishmaniasis: Potential Clinical Applications. PROTEOMICS CLINICAL APPLICATIONS, v. 13, n. 6, . (17/26197-6, 17/04287-3, 14/26777-4, 14/06863-3, 18/18257-1, 18/15549-1, 17/04032-5)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.