Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de sistemas teranósticos a base de ZnO dopado com GD, Mn e Co e nanocápsulas lipídicas

Processo: 17/16074-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 02 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Leila Aparecida Chiavacci Favorin
Beneficiário:Bruna Lallo da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/14164-9 - Desenvolvimento de auto-montagens teranósticas baseadas em pontos quânticos e ferroceno, BE.EP.DR
Assunto(s):Sistemas teranósticos   Nanocápsulas   Óxido de zinco   Pontos quânticos   Diagnóstico por imagem   Ressonância magnética

Resumo

O uso de nanocarreadores de fármacos baseados em lipídios como as nanocápsulas lipídicas tem atraído a atenção, pois é um sistema seguro para ser utilizado como liberação controlada de fármacos e diagnóstico por imagem. Nos últimos anos, o uso de Pontos Quânticos (PQs) de ZnO para obter imagens biológicas tem atraído atenção por suas propriedades luminescente e a possibilidade de incorporar a esses PQs agentes de contraste para serem utilizados em ressonância magnética, como o gadolínio, manganês e cobalto, permitindo assim a associação de duas técnicas de imagem (ótica e ressonância) em uma única nanoestrutura. Assim sendo, o objetivo desse trabalho é desenvolver PQs de ZnO com diferentes dopantes (Gd, Co, Mn) e incorporá-los em NCL para que o nanocarreador desenvolvido seja capaz acoplar propriedades de diagnostico através de imagens obtidas por fluorescência e ressonância magnética e propriedades terapêuticas pela possibilidade de veicular fármacos. Os PQs de ZnO serão obtidos pelo processo sol-gel e dopados com diferentes metais para posteriormente serem incorporados nas NCL sintetizadas pelo método de inversão de fases. Os sistemas teranósticos serão caracterizados por técnicas de rendimento quântico de fluorescência e por ressonância magnética. Serão utilizados ensaios "in vitro" e "ex vivo" para avaliar a citotoxicidade e internalização celular por meio de técnicas de microscopia de fluorescência e ressonância magnética e ensaios "in vivo" por ressonância magnética em pequenos animais (testes não invasivos). (AU)