Busca avançada
Ano de início
Entree

Morfologia dentária de séries osteológicas humanas pré-coloniais do litoral Sudeste do Brasil: contribuições para o estudo de variabilidade morfológica em populações sambaquieiras

Processo: 17/20637-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Arqueologia - Arqueologia Pré-histórica
Pesquisador responsável:Veronica Wesolowski de Aguiar e Santos
Beneficiário:Daniel Filipe Ferreira Fidalgo
Instituição-sede: Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bioarqueologia   Morfologia dentária   Sambaquis   Rio de Janeiro   Ribeira de Iguape (SP)   Sudeste   Brasil

Resumo

Os sambaquis estão entre os contextos arqueológicos de maior destaque na arqueologia nacional, contextualizando as primeiras ocupações humanas do litoral brasileiro. A variabilidade biológica destes indivíduos é estudada desde os finais do século XIX. Porém, o seu reflexo ainda não é evidente nas dinâmicas de ocupação e migração entre estes grupos costeiros, nas suas relações com os povos coevos do planalto, e contato posterior com os povos indígenas que ocuparam o litoral. A morfologia craniana tem assumido um papel de destaque nos estudos de variabilidade biológica. No entanto, estes parâmetros são bastante influenciáveis por fatores de adaptação ambientais e extremamente condicionados pelo estado de preservação das amostras osteológicas. Apesar dos estudos baseados na avaliação de caracteres discretos dentários serem ainda incipientes a nível nacional, a sua importância como marcadores de biodistâncias é já bem definida na literatura. Neste trabalho é proposta a análise de 38 caracteres discretos dentários, entre outros elementos associados, num total de 35 séries osteológicas provenientes de sambaquis localizados entre o Vale do Ribeira do Iguape e o estado do Rio de Janeiro. A análise de componentes principais e a medida média de divergência serão as abordagens quantitativas para a estimativa de afinidades biológicas. Espera-se que a discussão derivada dos resultados obtidos possa reforçar hipóteses já existentes, ou mesmo dar luz a novas interpretações acerca de antigas migrações e dinâmicas populacionais. (AU)