Busca avançada
Ano de início
Entree

Farmacogenética clínica dos enantiômeros do ibuprofeno após exodontias de terceiros molares inferiores

Processo: 18/04157-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Carlos Ferreira dos Santos
Beneficiário:Giovana Maria Weckwerth
Supervisor no Exterior: Devin Michael Absher
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Local de pesquisa : HudsonAlpha Institute for Biotechnology, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/12671-5 - Farmacogenética clínica dos enantiômeros do ibuprofeno após exodontias de terceiros molares inferiores, BP.DR
Assunto(s):Farmacologia clínica   Farmacogenética   Dor   Ibuprofeno   Haplotipos

Resumo

Os fármacos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) são agentes vendidos sem receita médica frequentemente consumidos pela população para controlar a dor crônica e também a dor aguda após os processos inflamatórios. A extração de terceiros molares inferiores é recomendada para avaliação do efeito dos AINEs, pois produz dor, edema e trismo. O metabolismo dos AINEs depende principalmente da família do citocromo P450 (CYP), mais precisamente dos genes CYP2C8 e CYP2C9. As mutações de codificação mais comuns que ocorrem nesses genes que estão associadas à redução da atividade enzimática nos genes CYP2C8 e CYP2C9 exibem frequências em torno de 22% e 31%, respectivamente, na população caucasiana. Devido a esta alta frequência de variações nesses genes, a avaliação do seu papel poderia ajudar a compreender a variabilidade nas respostas ao tratamento clínico e ao desenvolvimento de efeitos adversos para o uso de AINEs. Neste contexto, a farmacogenética, que estuda a contribuição de polimorfismos e fatores genéticos para a variabilidade individual das respostas ao metabolismo do fármaco, está crescendo e começa a mostrar resultados quanto ao uso clínico de drogas. Além disso, a possível influência dos biomarcadores genéticos e teciduais no sistema inibidor descendente da dor também podem afetar a resposta e os efeitos dos AINEs e este sistema inibitório pode ser verificado através da modulação da dor condicionada. Neste aspecto, o receptor de opióides OPRM1 tem sido amplamente estudado pela farmacogenética, devido à variação estrutural e sua função em uma variedade de distúrbios dolorosos. O receptor ¼-opióide (MOR), codificado pelo gene OPRM1, regula naturalmente a resposta analgésica à dor. As variabilidades genéticas no gene OPRM1, particularmente o SNP A118G, foram associadas a vários fins funcionais. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar a relação entre os diferentes haplótipos dos genes CYP2C8, CYP2C9 e OPRM1 e a eficácia clínica do ibuprofeno após extrações de terceiros molares inferiores em relação à dor, edema e trismo, reações adversas, a quantidade de medicação de socorro utilizada para dor, a satisfação do paciente com a droga e a influência da habilidade na modulação pré-operatória da dor condicionada. O DNA liofilizado, derivado da saliva dos 200 pacientes dessa pesquisa de doutorado coletada no Brasil, será utilizado para o sequenciamento genético e análise dos genes CYP2C8, CYP2C9 e OPRM1, relacionados ao metabolismo de AINEs, dor e modulação de dor e todos os dados coletados serão comparados com os haplótipos encontrados na população brasileira. Para o sequenciamento genético do CYP2C8, CYP2C9 e OPRM1 será utilizado o instrumento MiSeq® System (Illumina®) com um comprimento de leitura de 2 x 78 pb. O estágio de pesquisa no exterior (BEPE) será conduzido sob a coordenação do professor Devin Absher, Investigador Científico do HudsonAlpha Institute for Biotechnology, em Huntsville, Alabama, EUA, onde os testes genéticos serão conduzidos. Esta pesquisa também contará com a colaboração do Dr. Troy Moore, Diretor Científico da Kailos Genetics, Inc., também em Huntsville, Alabama, EUA, localizada no mesmo complexo do HudsonAlpha (mesmo endereço). (AU)