Busca avançada
Ano de início
Entree

Contribuição dos fungos e bactérias gram-negativas para o PM10 na atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo

Processo: 18/03524-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de setembro de 2018
Vigência (Término): 29 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Ana Paula Mendes Emygdio
Supervisor no Exterior: Judith Chow
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : Desert Research Institute, Reno (DRI), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/10594-3 - Caracterização do aerossol biogênico primário na atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo, BP.DR
Assunto(s):Biomarcadores   Área urbana

Resumo

Atualmente, existe uma grande quantidade de conhecimento relacionado com as fontes de compostos inorgânicos do MP2.5 e MP10 para a região metropolitana de São Paulo (MASP), mas poucos estudos têm avaliado a contribuição das fontes orgânicas do material particulado (MP), embora a maior parte da da massa do MP2.5 é composta por compostos orgânicos. O MP2.5 e MP10 estão entre os poluentes que mais impactam na qualidade do ar da MASP. Os componentes biogênicos do MP podem ter relação direta com surtos de doenças respiratórias e também estão relacionados com mudanças nos processos climáticos. Uma razão da falta de conhecimento sobre a caracterização das partículas orgânicas em São Paulo é o desafio analítico em aplicar a metodologia correta. Existem vários métodos para quantificar a presença biológica na atmosfera, sem um protocolo estabelecido para todas as situações. Contudo, o uso de biomarcadores tem sido usado cada vez mais como uma importante metodologia para determinar a biomassa biogênica. Considerando a falta de conhecimento considerando a composição da fração orgânica do MP in MASP, o objetivo desse trabalho é (i) estimar a concentração em massa dos derivados de fungo e bactéria gram-negativa presente na atmosfera de São Paulo; (ii) estimar as principais fontes de MP10 em MASP, incluindo as fontes biológicas. Para alcançar esse objetivo, foram coletadas ~70 amostras de MP10 na região metropolitana de São Paulo (MASP) que será usada para caracterizar e determinar alguns biomarcadores de bactéria e fungo, como ergosterol, arabitol, manitol e ácido graxo 3-hidroxi, junto com a fração inorgânica. A análise desses biomarcadores junto com algumas análises inorgânicas (íons, composição elementar, carbono negro e carbono elementar) e orgânicas (número de esporos e carbono orgânico) irá ajudar a caracterizar os bioaerossóis na atmosfera de MASP e estimar a contribuição em biomassa dos fungos e bactérias para o material particulado do ambiente. Usando modelos receptores e ferramentas estatísticas será possível identificar frações de fontes distintas relacionadas com o MP10 e fatores de conversão para converter a concentração de biomarcadores para biomassa de fungos e bactérias.