Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dos tratamentos com fibra de mamão papaia verde e maduro em modelo in vivo de carcinogênese de cólon

Processo: 18/06266-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Joao Paulo Fabi
Beneficiário:Rodrigo Invernort Tamarossi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/23970-2 - Alterações biológicas das pectinas de mamão com possíveis benefícios à saúde humana, AP.JP
Assunto(s):Neoplasias do cólon   Azoximetano   Parede celular   Mamão   Pectinas   Fibras na dieta   Modelos animais de doenças

Resumo

A grande incidência das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) pode ser influenciada por determinados hábitos, como uma alimentação com baixo consumo de frutas e verduras que são alimentos com alta quantidade de fibras alimentares (WHO 2013). As fibras alimentares solúveis não são hidrolisadas pelas enzimas endógenas do trato gastrintestinal humano sendo fermentadas pela microbiota intestinal (Anderson et al., 2009). As pectinas presentes em frutos são consideradas como fibras solúveis e desempenham um papel importante na inibição da carcinogênese intestinal, mostrando que seu consumo regular pode ser benéfico (Mudgil & Barak, 2013). O mamão papaia (Carica papaya L.) é um fruto tropical cuja polpa contém grandes quantidades de pectinas, sendo possível inferir que seu consumo também possa ter efeitos benéficos. De fato, experimentos prévios in vitro demonstraram uma alta atividade biológica das pectinas de mamões na inibição da proliferação de células de câncer de cólon (Prado et al., 2017). Durante o amadurecimento do mamão ocorre um aumento da ação de enzimas que degradam a matriz péctica (Fabi et al., 2012, 2014; Prado et al., 2016) acarretando em um acréscimo de pectinas solúveis que exerceram a atividade anticancerígena in vitro (Prado et al., 2017). Sendo assim, o objetivo desse trabalho é avaliar os efeitos da ingestão de fibra alimentar de mamões papaia verde e maduro em ratos induzidos à carcinogênese de cólon. (AU)