Busca avançada
Ano de início
Entree

Simulabilidade da medida quântica e aplicações a não-localidade de Bell

Processo: 18/04208-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física Geral
Pesquisador responsável:Nathan Jacob Berkovits
Beneficiário:Leonardo Guerini de Souza
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/01343-7 - ICTP Instituto Sul-Americano para Física Fundamental: um centro regional para física teórica, AP.TEM
Assunto(s):Mecânica quântica   Emaranhamento quântico

Resumo

Ao realizarmos medições locais em subsistemas de um sistema quântico multipartido,podemos obter correlações mais fortes que as geradas classicamente. Define-se assim osconceitos de separabilidade, Einstein-Podolsky-Rosen unsteerability, e localidade de Bell, deacordo com a forma com que é possível modelar essas correlações. A meta principal desteprojeto de pesquisa é dar continuação à teoria de simulabilidade de medições quânticasiniciada em trabalhos anteriores, em que tais modelos foram construídos especificamente paradeterminados subconjuntos de medições e então estendidos via simulabilidade. Propomosgeneralizar essas ideias para simularmos também medições em dimensões diferentes, seguindoa linha de alguns resultados recentes.Analogamente ao emaranhamento de estados quânticos, a incompatibilidade de mediçõesé um ingrediente necessário para a presença de qualquer característica não-clássica em umsistema. Pretendemos desenvolver uma teoria de recursos da imcompatibilidade de medições,combinando propriedades caracterizadas em um trabalho anterior com a abordagem frutíferade teoria de recursos.Acerca de não-localidade de Bell, planejamos investigar a fronteira do conjunto de estadosunsteerable utilizando uma adaptação da técnica de perturbações, o que por sua vez resolveriaa questão da utilidade de medições não-projetivas no contexto de correlações quânticas