Busca avançada
Ano de início
Entree

Sobre os fundamentos da teoria social cosmopolita: uma abordagem hermenêutico-sociológica da globalização da cultura

Processo: 18/01178-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Wagner Costa Ribeiro
Beneficiário:Estevão Mota Gomes Ribas Bosco
Supervisor no Exterior: Gerard Daniel Delanty
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Sussex (US), Inglaterra  
Vinculado à bolsa:16/14083-3 - Explorações empírico-teóricas sobre a mundialização:cosmopolitismos, experiência e situação, BP.PD
Assunto(s):Sociologia ambiental   Cosmopolítico   Globalização   Consumo

Resumo

A questão central desta proposta de pesquisa consiste em saber se a teoria da ação comunicativa (Habermas) nos permite endereçar os desafios que a globalização cultural coloca para a teoria social. O ponto de partida é a compreensão de que a globalização cultural é um fenômeno sociológico total, que sobreilumina a diversidade cultural e o entrelaçamento histórico das sociedades como aspectos imanentes da condição humana, e como tal, constituem as dimensões histórica (diacronia) e presente (sincronia) de nossa experiência do mundo. No plano microssociológico, isso nos é mostrado pelas pesquisas recentes sobre o cosmopolitismo estético-cultural, assim como em pesquisas sociológicas quantitativas e qualitativas selecionadas e em etnografias e historiografias pós-coloniais. A partir disso, argumento que o crescendum que vai da ação comunicativa e ação estratégica, mundo da vida e sistema, às esferas evolutivas sociomoral e cognitivo-tecnológica, dá forma a um conceito de sociedade culturalmente endógeno, a rigor, nacional, que nos impede de endereçar o entrelaçamento das sociedades, i.e a globalização cultural. Isso se deve ao fato de que a fundação pragmático-formal do entendimento mútuo toma a intersubjetividade como dada (Vandenberghe). Em vista disso, a hipótese formulada sustenta que, se partirmos das pré-condições hermenêuticas da experiência do mundo (Gadamer), podemos delinear uma perspectiva complementar à teoria da ação comunicativa. Embora não perca de vista a dimensão macro, esta hipótese privilegia o plano micro do entrelaçamento das sociedades e concebe a experiência da globalização cultural como experiência hermenêutica, introduzindo um tipo intercultural de entendimento mútuo como medium de interação. A abordagem metodológica é a reconstrução e está orientada por um procedimento dedutivo empírico-teórico. Esta proposta de pesquisa visa contribuir com a fundamentação do projeto de teoria social cosmopolita, mediante a formulação de uma perspectiva intercultural fundada hermeneuticamente. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BOSCO, ESTEVAO; HARRIS, NEAL. From sociology to social theory: Critical cosmopolitanism, modernity, and post-universalism. INTERNATIONAL SOCIOLOGY, v. 35, n. 6, SI SEP 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.