Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do receptor de mineralocorticóides endoteliais e de macrófagos na resposta inflamatória e função anticontrátil do tecido adiposo perivascular de machos e fêmeas obesos

Processo: 18/00543-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ana Paula Couto Davel
Beneficiário:Jamaira Aparecida Victorio
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Endotélio   Obesidade   Fisiologia cardiovascular

Resumo

A prevalência da obesidade é crescente em todo o mundo e atualmente afeta mais mulheres do que homens. O aumento do índice de massa corporal é um fator de risco para doenças cardiovasculares (DCV), e sugere-se que há prejuízo do papel anticontrátil e maior liberação de fatores pró-inflamatórios pelo tecido adiposo perivascular (PVAT) na obesidade. A ativação do receptor de mineralocorticoides (MR), funcionalmente expresso em células do sistema imune e endoteliais (CE), podem participar do processo inflamatório do tecido adiposo na obesidade por estimular a adesão e migração leucocitária e modular o perfil de macrófagos inflamatórios M1 e/ou anti-inflamatórios e residentes M2. O bloqueio do MR melhora a função endotelial e tem efeito anti-inflamatório evidenciado em fêmeas obesas, mas não em machos. Assim, o MR emerge como um possível mecanismo envolvido nas diferenças sexuais da fisiopatologia das DCV na obesidade. Entretanto, não se sabe o papel do MR na disfunção do PVAT na obesidade em machos e fêmeas. No presente projeto levantamos a hipótese que a ativação do MR poderia estar envolvida nas diferenças sexuais na resposta inflamatória do PVAT e em seu papel na disfunção vascular associada à obesidade. Para tal, camundongos machos e fêmeas serão alimentados com dieta padrão ou hiperlipídica e tratados com o antagonista MR espironolactona. Para avaliar o papel célula-específico do MR na obesidade serão utilizados camundongos com deleção do MR em CE (CE-MR-/-) ou em células mieloides (MO-MR-/-) alimentados com dieta padrão ou hiperlipídica. Artérias mesentéricas de resistência (<300¼m) e o respectivo PVAT serão isolados. No PVAT será analisado o infiltrado leucocitário, a expressão de citocinas anti- e pró-inflamatórias, o perfil de polarização dos macrófagos e o estresse oxidativo. Nas artérias mesentéricas avaliaremos a reatividade vascular na presença e ausência do PVAT.