Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinterização em duas etapas e medidas de propriedades mecânicas de cerâmicas de carbeto de silício

Processo: 17/26754-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Sebastião Ribeiro
Beneficiário:Douglas Siqueira Bernardo
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Assunto(s):Cerâmica (materiais cerâmicos)   Carbeto de silício   Propriedades mecânicas   Sinterização

Resumo

O carbeto de silício é uma cerâmica de baixa densidade e com boas propriedades físicas, químicas e térmicas, utilizado na indústria aeroespacial e em indústrias de geração de energia por ter boa resistência em condições extremas. Ele é geralmente sinterizado juntamente com óxidos metálicos devido a sua baixa autodifusão que dificulta sua densificação. Porém, mesmo utilizando-se aditivos, a densidade e o tamanho de grão do material produzido por sinterização tradicional não alcançam níveis satisfatórios. Existem, atualmente, outros métodos mais sofisticados para atingir melhorias nas propriedades desse material, porém são métodos mais caros e que necessitam de equipamentos específicos. A sinterização em duas etapas é um método de menor custo que vem mostrando bons resultados para diferentes tipos de cerâmica, com inibição do crescimento de grão e aumento na densificação do material. O objetivo desse projeto é realizar a sinterização em duas etapas do carbeto de silício usando três diferentes sistemas de aditivos: óxido de alumínio e óxido de ítrio; óxido de alumínio e óxido de itérbio; óxido de alumínio e óxido de disprósio; visando aumentar a sua densidade e produzir microestrutura mais fina que as normais, sinterizadas em um único estágio. O trabalho será realizado no Departamento de Engenharia de Materiais da Escola de Engenharia de Lorena da USP, juntamente com Prof. Dr. Sebastião Ribeiro que já orientou vários estudos sobre esse material. (AU)