Busca avançada
Ano de início
Entree

Fatores relacionados com os acidentes de trânsito com vítimas atendidas no Pronto Socorro Central e que ficaram internadas no Hospital das Clínicas da FMUSP

Processo: 18/05079-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Daniel Romero Muñoz
Beneficiário:Ana Flávia Mota Gonçalves Dias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/20191-6 - Fatores relacionados com os acidentes de trânsito com vítimas atendidas no Pronto Socorro Central e que ficaram internadas no Hospital das Clínicas da FMUSP, AP.R
Assunto(s):Epidemiologia   Indicadores de morbimortalidade   Causas de morte   Ferimentos e lesões   Acidentes de trânsito   Drogas ilícitas   Fármacos

Resumo

Os traumas relacionados com causas externas de morbimortalidade são um dos maiores desafios assistenciais das unidades de saúde do Sistema Único de Saúde, pela gravidade e complexidades das lesões. Dentre estas, se destacam as produzidas por acidentes de trânsito (CID: VO1-V70). Programas de prevenção efetivos devem atuar sobre as principais causas e fatores relacionados. Avaliar os fatores associados com os acidentes de trânsito e transportes das vítimas com lesões mais graves que permanecem internadas pode ser útil para elaboração de programas efetivos de redução. Serão avaliadas todas as vítimas atendidas no Pronto Socorro Central do Hospital das Clínicas da FMUSP no período de um ano, que ficarem internadas. Os principais objetivos são identificar os principais fatores relacionados com os acidentes de trânsito: pessoais (dados demográficos, habilitação; tipo de vítima; recordativo sobre o uso de substâncias psicoativas pela vítima no momento, uma semana antes (mesmo horário) e nos últimos 12 meses antes do acidente), veículo (s) envolvido (s); circunstâncias e local de ocorrência do acidente; tipo de acidente; condições da via de ocorrência do acidente, análise toxicológica do sangue para verificação do uso de substâncias psicoativas. Também serão avaliados os índices de gravidade pelo RTS (internação), AIS (índice de gravidade abreviado) e ISS (índice geral de gravidade) e a incapacidade resultante um mês após o acidente (Medida de Independência Funcional - MIF). Os dados serão coletados na unidade de emergência (RTS e sangue), de internação (entrevista e ISS). O grau de funcionalidade será avaliado 30 dias após a ocorrência. Poderá ser feito através de uma entrevista telefônica ou presencial (retorno ambulatorial), quando o paciente teve alta. Nos casos em que não houve alta hospitalar, a entrevista será feita no local da internação. O desfecho principal será avaliar se os casos relacionados com substâncias psicoativas são mais graves e incapacitantes. (AU)