Busca avançada
Ano de início
Entree

Biocompatibilidade dos microcristais ±-Ag2WO4, ²-Ag2MoO4 e ±-AgVO3: avaliação de citocinas pró-inflamatórias e metaloproteinases da matriz

Processo: 18/01677-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Vergani
Beneficiário:Bruna Natalia Alves da Silva Pimentel
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07296-2 - CDMF - Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais, AP.CEPID
Assunto(s):Próteses e implantes   Prata   Citocinas   Metaloproteinases da matriz   Fibroblastos   Queratinócitos   Teste de biocompatibilidade

Resumo

Infecções fúngicas são importantes causas de morbidade e mortalidade. Atualmente existem diferentes terapias com agentes antifúngicos utilizadas para controle destas infecções, contudo a tolerância microbiana a esses agentes tem aumentado. Por esse motivo nosso grupo tem avaliado a atividade antifúngica de microcristais contendo prata bem como sua citotoxicidade sobre células humanas (fibroblasto gengival humano - FGH - e queratinócitos orais normais espontaneamente imortalizados - NOK-si). Os resultados obtidos até o momento demonstraram que os microcristais testados (alfa tungstato de prata - ±-Ag2WO4, beta molibdato de prata - ²-Ag2MoO4 e alfa vanadato de prata - ±-AgVO3) apresentaram atividade fungicida e fungistática contra Candida albicans e, ao mesmo tempo, não apresentaram citotoxicidade sobre as células humanas testadas. Contudo, existem lacunas importantes sobre a biocompatibilidade dos microcristais que devem ser cuidadosamente investigadas como a capacidade de indução de resposta inflamatória e degradação de metaloproteinases de matriz (MMPs). O entendimento de tais respostas é fundamental para assegurar uma melhor compreensão dos mecanismos de resposta inflamatória e regeneração tecidual frentes a estes novos materiais. Assim, este projeto visa avaliar a expressão de citocinas pró-inflamatórias (IL-1², IL-6, IL-8 e TNF-±) e MMPs (-8 e -9) em culturas de células em monocamada e em epitélio oral humano reconstituído (RHOE) após a exposição às concentrações inibitórias e fungicidas dos microcristais (±-Ag2WO4, ²-Ag2MoO4 e ±-AgVO3). Para avaliar a viabilidade celular e ou tecidual serão realizados ensaios de Alamar Blue. Em seguida serão realizados os ensaios de qPCR (para avaliação da expressão gênica das citocinas e MMPs); citometria de fluxo (para quantificação das citocinas solúveis); Western Blot (para quantificação das MMPs solúveis); e zimografia (para avaliação da atividade enzimática das MMPs). Os resultados obtidos serão submetidos à análise estatística com auxílio do software GraphPad Prism 5. Será adotado um nível de significância de 5%. (AU)