Busca avançada
Ano de início
Entree

Remobilização do potássio no eucalipto em resposta ao estresse hídrico

Processo: 17/23590-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 28 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Paulo Mazzafera
Beneficiário:Elcio Ferreira dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Eucalipto   Madeira   Adaptação fisiológica   Nutrição mineral de plantas

Resumo

O estresse hídrico afeta negativamente a produtividade em culturas agrícolas por todo o mundo. No Brasil, uma considerável proporção dos plantios de eucalipto está localizada em regiões sujeitas ao estresse hídrico, estimulando trabalhos que avaliam o potássio (K) como opção na atenuação desse estresse nessa espécie. Porém, ainda existem lacunas sobre como o eucalipto utiliza o K para atenuar o estresse e quais são os mecanismos envolvidos. São poucos os relatos na literatura que abordam o cultivo eucalipto em condições de estresse à seca explicando o padrão de redistribuição do K. Sabe-se que a concentração de K aumenta no caule em condições de estresse hídrico, mas não existem informações como isto ocorre e quais são os mecanismos envolvidos. Neste trabalho procura-se avaliar a remobilização do K em eucalipto em resposta ao estresse hídrico, correlacionando as respostas fisiológicas de espécies e clones de eucalipto contrastantes quanto a tolerância ao estresse hídrico, com a redistribuição de K. O experimento será conduzido em vasos com capacidade de 50 dm3 com tratamentos arranjados em esquema fatorial: 2 (com e sem adubação potássica no solo) x 5 (dois clones + três espécies de eucalipto no cultivo) x 3 (controle + dois regimes hídricos), com oito repetições. Ao final do experimento, serão mensurados o potencial da água na folha; os parâmetros de trocas gasosas, o embolismo no xilema, os constituintes de parede celular, expressão de transportadores de K e de aquaporinas, bem como serão realizadas análises histológicas e de densidade do caule. Por fim, serão coletadas amostras de folhas e caule para as análises da concentração de K usando ICP-OES e de espectrometria em raio ¼-XRF.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.