Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa da ocorrência de leishmaniose canina no município de Ourinhos-SP

Processo: 18/00184-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Breno Fernando Martins de Almeida
Beneficiário:Douglas Aparecido da Silva
Instituição-sede: Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO). Fundação Educacional Miguel Mofarrej. Ourinhos , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia   Leishmania   Testes imunológicos   Testes sorológicos   Controle de doenças transmissíveis   Ourinhos (SP)

Resumo

A leishmaniose visceral é uma doença enzoótica que está entre as doenças consideradas negligenciadas pela Organização Mundial de Saúde. Atualmente a doença é endêmica no Brasil e já foi descrita em todos os Estados do país, mas mesmo assim poucos estudos são realizados com o objetivo de detectar a disseminação da doença ainda no início. Segundo o último Boletim Epidemiológico Paulista, o município de Ourinhos é classificado como área vulnerável não receptiva, devido à proximidade de cidades endêmicas como Bauru e Marília e devido ao fato de o flebotomínio vetor da doença ainda não ter sido detectado no município. Segundo dados não publicados e notificados à Vigilância Sanitária do Município, nos anos de 2016 e 2017, cerca de cinco cães foram diagnosticados com leishmaniose canina em nosso Laboratório Clínico, sendo que em 2017 um outro diagnóstico foi realizado numa clínica particular da cidade segundo noticiado nos jornais locais. Considerando que não existem estudos epidemiológicos científicos acerca da prevalência da doença na cidade e que normalmente casos caninos precedem casos humanos, o presente estudo tem como objetivo determinar se há transmissão autóctone canina na cidade, associar fatores de risco na população canina da cidade e conduzir um estudo piloto com a ocorrência da doença na cidade para que seja possível determinar a real prevalência em estudos futuros, determinando-se o tamanho amostral adequado. Para tal, a cidade foi dividida em 31 blocos e considerando a população canina estimada de 15.000 animais e uma prevalência máxima de 50%, serão coletadas pelo menos 530 amostras de sangue de cães de todas as regiões da cidade durante a campanha de vacinação contra a raiva, após devida assinatura do termo de consentimento dos tutores. A sorologia será realizada na Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba (FMVA - Unesp) por ELISA indireto com antígeno total bruto de Leishmania infantum segundo metodologia previamente descrita. A confirmação diagnóstica será realizada pela detecção de formas amastigotas de Leishmania spp. em punção aspirativa de linfonodo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.