Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da cocaína crack sobre o comportamento de ansiedade e pânico no labirinto em T elevado e substratos neurais envolvidos

Processo: 17/23262-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Milena de Barros Viana
Beneficiário:Maria de Fátima Santana de Nazaré
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Drogas ilícitas   Cocaína crack   Análise do comportamento   Usuários de drogas   Ansiedade   Imuno-histoquímica   Modelos animais   Ratos Wistar

Resumo

A cocaína crack foi introduzida no Brasil no final de 1980 ou início de 1990, e seu uso tem aumentado dramaticamente nas últimas décadas para todos os grupos socioeconômicos. Hoje, o Brasil é também o maior mercado do mundo para a cocaína crack. Usuários de crack apresentam um pior prognóstico quando comparados com usuários de outras drogas ilícitas porque a droga provoca um quadro de dependência mais grave. A dependência de drogas é uma doença crônica e reincidente que é caracterizada por uma compulsão na procura e uso de drogas, descontrole do uso e um emergente estado emocional negativo, dentre os quais se destacam sintomas de ansiedade e irritabilidade, que define uma síndrome de privação motivacional quando o acesso às drogas se encontra impossibilitado. A exposição repetida a drogas que causam dependência produz neuro adaptações em regiões encefálicas relacionadas à recompensa que modulam tanto o desenvolvimento do consumo compulsivo de drogas e a persistência do 'craving' ou fissura, quanto a recaída para a busca de drogas na abstinência. Muitas destas neuro adaptações resultam da indução de fatores de transcrição e subsequente regulação da expressão gênica, que pode ter efeitos potencialmente duradouros na estrutura e função neuronal. A família Fos de fatores de transcrição é de particular interesse, já que os membros desta família mostram padrões de indução diferencial em regiões encefálicas após exposição aguda e crônica à cocaína. Durante a abstinência, a retirada aguda de diferentes tipos de drogas de abuso produz aumento nos limiares de recompensa, aumento nas respostas tipo ansiedade e aumento nos níveis extracelulares de CRF no núcleo central da amígdala. O presente trabalho investigará os efeitos da exposição, em ratos Wistar machos, à cocaína crack após o tratamento agudo, crônico e abstinência, sobre os padrões de comportamento associados à ansiedade e ao pânico, através do modelo do LTE. Para mensurar a atividade motora destes animais, após as tarefas do LTE os animais serão testados em um campo aberto. Além disso, será avaliado a ativação dos substratos neurais envolvidos com estes comportamentos para cada um dos três grupos, através da análise de imunoistoquímica à proteína c-Fos para o grupo do tratamento agudo, Delta-FosB para o grupo do tratamento crônico e uma análise de dupla marcação imunoistoquímica para peptídeo CRF para o grupo da abstinência. (AU)