Busca avançada
Ano de início
Entree

Micropropagação de manacá-de-cheiro (Brunfelsia uniflora (Pohl) D. Don), uma espécie nativa do Brasil e em expansão para uso como ornamental

Processo: 18/02595-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Floricultura, Parques e Jardins
Pesquisador responsável:Jean Carlos Cardoso
Beneficiário:Ana Victoria Conde da Silva de Matos
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Micropropagação vegetal   Plantas ornamentais   Brotação   Cultura de tecidos   Meios de cultura

Resumo

A espécie Brunfelsia uniflora (Pohl) D. Don, conhecida pelo nome manacá-de-cheiro, é uma espécie nativa de ocorrência em toda a América do Sul. Possui características ornamentais as quais podem ser usadas no paisagismo, além de contribuir na arborização urbana. Desse modo, com a crescente demanda do mercado de plantas ornamentais por novas espécies e/ou espécies nativas, é necessária a obtenção de protocolos para a propagação em escala, devido as dificuldades inerentes a cada espécie, como é o caso do manacá-de-cheiro, que produz poucas sementes e suas estacas enraízam de forma muito limitada. Dessa forma, este trabalho terá como objetivo estabelecer um protocolo visando a micropropagação, pela obtenção de brotações livres de contaminações, seguido de sua multiplicação e enraizamento in vitro como forma de avaliar a viabilidade da técnica visando a sua propagação. As plantas obtidas serão utilizadas posteriormente em produção comercial visando a comparação das mudas provenientes da micropropagação com aquelas provenientes da estaquia. O estabelecimento da cultura será realizado com dois meios de cultura, o WPM (Wood Plant Medium) e o MS ½, conciliado com três doses de Benziladenina (BA). Para a multiplicação serão realizados experimentos na ausência de reguladores, e com a adição das citocininas BA e Thidiazuron no meio de cultura. Finalmente, na fase de enraizamento, as plântulas obtidas serão submetidas a testes com tipos e concentrações de auxinas. (AU)