Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação biológica e inflamatória dos efeitos do antígeno 5 do veneno de Polybia paulista (Hymenoptera, Vespidae) na forma recombinante, sobre células de linhagem macrofágica

Processo: 17/07988-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Márcia Regina Brochetto Braga
Beneficiário:Murilo Luiz Bazon
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/02298-3 - Caracterização do potencial imunológico do antígeno recombinante 5 do veneno de Polybia paulista, BE.EP.DR
Assunto(s):Imunologia   Antígenos   Venenos   Polybia paulista   Hymenoptera   Vespidae   Macrófagos

Resumo

No Brasil existem muitas espécies de vespas sociais, as quais constituem um potencial risco para humanos. A vespa social Polybia paulista é muito agressiva e abundante nos estados de São Paulo e Sul de Minas Gerais, sendo responsável por muitos acidentes de importância médica. As ferroadas de Hymenoptera estão entre as principais causas de respostas alérgicas sistêmicas, enquanto que, o choque anafilático associado às reações de hipersensibilidade imediata, provocadas por proteínas alergênicas presentes em venenos, atingem uma parcela considerável da população mundial. O interesse pela caracterização molecular desses alérgenos tem-se ampliado no meio cientifico, devido aos resultados promissores obtidos em estudos imunológicos clínicos, na terapêutica e profilaxia de respostas de hipersensibilidade. Muitos ensaios buscam uma melhor compreensão dos processos alérgicos, podendo, deste modo, aperfeiçoar os diagnósticos, por permitir a identificação de epítopos e regiões moleculares que interagem com anticorpos. Entre os componentes encontrados no veneno de Polybia paulista, a proteína alergênica denominada Antígeno 5 (Ag 5) tem sido considerada um dos principais alérgenos presente no veneno dessa espécie, juntamente com a hialuronidase (Poly p 2) e fosfolipase A1 (Poly p 1). Neste trabalho serão avaliados os efeitos da proteína ryPoly p 5, correspondente a forma recombinante do alérgeno Ag 5 do veneno de Polybia paulista (Hymenoptera, Vespidae), sobre culturas primárias de macrófagos obtidos de camundongos de linhagem BALB/c. Serão avaliadas as capacidades desse alérgeno de estimular a liberação de mediadores inflamatórios e citocinas relacionadas com a resposta inflamatória. A diversidade de substâncias que compõem os venenos, bem como o escasso conhecimento do potencial imunológico de seus componentes alergênicos, a exemplo da proteína Ag 5, torna relevante a realização de estudos que venham elucidar todos os processos envolvidos tanto na sensibilização do indivíduo ferroado, bem como, na busca para definir melhores métodos de imunoterapia, visando a supressão das respostas alérgica e inflamatória. (AU)