Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de possíveis variáveis epidemiológicas associadas à distribuição espacial da infecção por Rickettsia rickettsii em cães e carrapatos em uma área endêmica para Febre Maculosa Brasileira na Região Metropolitana de São Paulo

Processo: 18/01596-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Marcelo Bahia Labruna
Beneficiário:Lina de Campos Binder
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Amblyomma aureolatum   Epidemiologia   Carrapatos   Febre maculosa   Parasitologia

Resumo

Entre 2007 e 2015 foram confirmados 418 casos de Febre Maculosa Brasileira (FMB) no estado de São Paulo, com taxa de letalidade superior a 60%. O estado apresenta cenários bem distintos com relação à epidemiologia da FMB. No interior do estado, o principal vetor é o carrapato Amblyomma sculptum (=Amblyomma cajennense sensu lato), tendo a capivara (Hydrochoerus hydrochaeris) como principal hospedeiro amplificador de Rickettsia rickettsii. Já na região metropolitana de São Paulo (RMSP), o responsável pela transmissão é o Amblyomma aureolatum, não se tendo elucidado até o momento que hospedeiro vertebrado poderia atuar como amplificador da R. rickettsii para essa espécie de carrapato. Apesar de os primeiros casos de FMB na RMSP terem sido reportados já na década de 1920, há ainda uma série de lacunas de conhecimento acerca da epidemiologia dessa enfermidade na região. Com o objetivo de preencher tais lacunas, esse projeto pretende identificar fatores de risco para a infecção de carrapatos e cães por R. rickettsii no bairro recreio da Borda do Campo, área endêmica para FMB no Município de Santo André, além de investigar o possível papel do cão doméstico como hospedeiro amplificador da R. rickettsii para carrapatos adultos de A. aureolatum. Para tal, o projeto será dividido em duas frentes: (I) análise da distribuição espacial de cães soropositivos para R. rickettsii no bairro Recreio da Borda do Campo; e (II) infecção experimental de cães com R. rickettsii e avaliação da capacidade desse vertebrado de atuar como hospedeiro amplificador da bactéria para carrapatos adultos de A. aureolatum. Espera-se com esses resultados ampliar a compreensão de importantes aspectos da epidemiologia da FMB na RMSP. (AU)