Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação clínico-patológica e aspectos da imunidade celular de primatas neotropicais frente à exposição prolongada de agrotóxicos: estudo de caso na Amazônia Meridional

Processo: 17/26694-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Jose Luiz Catao Dias
Beneficiário:Victor Yunes Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Animais selvagens   Primatas   Imunidade celular   Agrotóxicos   Bioacumulação   Amazônia Meridional

Resumo

Atualmente, o Brasil é um dos maiores produtores de alimentos e, ao mesmo tempo, ocupa a posição de maior consumidor mundial de agrotóxicos. A utilização intensiva de pesticidas por meio da pulverização por avião, trator-dispersor ou equipamento manual, mesmo em total observância às leis estabelecidas, leva à contaminação de espécies não-alvo, incluindo populações selvagens de primatas neotropicais. Alguns pesticidas da classe dos carbamatos e organofosforados, tais como o carbofurano e glifosato, vem sendo amplamente utilizados na Agricultura nacional e possuem efeitos sabidamente cumulativos nos tecidos de várias espécies. As populações de primatas neotropicais selecionadas para este estudo encontram-se às margens do rio Teles Pires, dentro da área de influência direta da Usina Hidrelétrica de Sinop e estão inseridas em um contexto de intensa perturbação no estado do Mato Grosso, diante da utilização de agrotóxicos nas monoculturas de soja, cana, trigo e milho, com efeitos clínico-patológicos ainda desconhecidos. Dessa maneira, este estudo tem por objetivo verificar a relação entre a presença dos agentes tóxicos e os respectivos achados clínico-patológicos, por meio da avaliação hematológica, bioquímica, histopatológica, toxicológica e do imunofenótipo de linhagens linfocitárias. A detecção dos resíduos de agrotóxicos nas matrizes biológicas dos primatas neotropicais avaliados auxiliará na compreensão dos processos de bioacumulação, inclusive de espécies ameaçadas de extinção, podendo subsidiar até mesmo políticas públicas restritivas ou regulatórias a despeito da pulverização de pesticidas, em âmbito local e nacional. (AU)