Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da influência da polinização sobre o número de sementes na tangerina IAC 2019Maria

Processo: 18/02694-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Mariângela Cristofani-Yaly
Beneficiário:Fernanda Roverssi
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Melhoramento genético vegetal   Resistência à doença   Citrus   Tangerina   Pólen   Polinização   Sementes

Resumo

No estado de São Paulo, principal produtor nacional de citros, destacam-se, como as mais cultivadas, as seguintes variedades do grupo das tangerinas e seus híbridos: tangerina Ponkan (Citrus reticulata Blanco) e tangor Murcott [Citrus sinensis (L.) Osbeck x C. reticulata Blanco]. Outras variedades, como a mexerica-do-Rio (C. deliciosa Tenore) e tangerina Cravo, apresentam pouca expressão, com relação à área de plantio. Essas variedades não atendem ao padrão de aceitação internacional, para serem consumidas como fruta fresca, pois o mercado valoriza muito as frutas sem sementes. Além disso, estas variedades são altamente suscetíveis à mancha marrom de alternária (MMA), doença causada pelo fungo Alternaria alternata, sendo considerada a doença fúngica mais severa da atualidade, atacando as tangerinas e alguns de seus híbridos. A doença afeta com severidade os pomares cultivados com as variedades de tangerina Ponkan e tangor Murcott, principais variedades cultivadas no Brasil, gerando prejuízos econômicos aos pomares comerciais, devido ao grande número de pulverizações necessárias para o controle. No Programa de Melhoramento de Citros do Centro APTA Citros Sylvio Moreira do Instituto Agronômico (IAC) foi desenvolvida uma cultivar, a tangerina IAC 2019Maria que tem se mostrado altamente resistente a esta doença. A cultivar, apesar de apresentar menor número de sementes que tangerina Ponkan e tangor Murcott, apresenta em média dez sementes por fruto. As plantas da cultivar tangerina IAC 2019Maria sempre foram cultivadas na presença de outras variedades. Desta forma, não temos o conhecimento da viabilidade dos pólens, de ocorrência ou não de autoincompatibilidade e influência da polinização cruzada no número de sementes. Tal estudo preliminar permitirá verificar a influência da polinização aberta, autopolinização e da ausência de polinização aberta e autopolinização na formação de sementes, em frutos da cultivar de tangerina IAC 2019Maria e se a redução no número de sementes acarretará consequências na qualidade da fruta. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.