Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão do PD-L1 no Melanoma Cutâneo

Processo: 17/20928-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Jorge Elias Kalil Filho
Beneficiário:Mara Huffenbaecher Giavina-Bianchi
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Melanoma   Proteínas   Fator de transcrição associado à microftalmia   Sobrevida   Melanócitos

Resumo

Immune-checkpoints são cruciais para a manutenção da tolerância ao próprio organismo (prevenção de autoimunidade) e para proteger contra dano tecidual no caso de infecção por patógenos. A expressão de proteínas nos immune-checkpoints pode ser desregulada no Melanoma, o que se transforma num importante mecanismo de resistência imune. O PD-L tem um papel crucial na supressão da resposta imune, ligando-se principalmente ao receptor de PD-1 nos linfócitos T. Para melhor compreender o papel do PD-L1 no Melanoma, faremos a dupla marcação imuno-histoquímica para PD-L1 e Mitf em amostras de Melanoma em vários estágios. O Microphthalmia transcription factor (Mitf) é essencial para o desenvolvimento e sobrevida dos melanócitos. Isto permitirá a análise da porcentagem de células neoplásicas positivas para ambos os reagentes dentro do tumor (PD-L1+MItf+) e de células não tumorais que porventura também expressem PD-L1, mas não o Mitf (PD-L1+Mitf-). Essas últimas ainda não foram bem estudadas; são habitualmente células mielóides e talvez carreguem algum significado prognóstico para o paciente. Pesquisaremos 150 Melanomas, 30 Melanomas em cada grupo a seguir: in situ, com espessura entre 0,01 e 2,0 mm (T1 e T2), com espessura >2,0mm (T3 e T4), em linfonodos e metastáticos. O Objetivo principal será responder como o PD-L1 é expresso em diferentes estágios do Melanoma cutâneo localizado X metastático regional ou à distância, tanto nas células tumorais quanto nas não tumorais. O secundário é se existe associação entre esses dois tipos celulares com aspectos clínicos e histopatológicos do Melanoma e sobrevida específica. As amostras e dados dos pacientes serão coletados na Oncologia Cutânea da Dermatologia- HC/FMUSP e no ICESP. (AU)