Busca avançada
Ano de início
Entree

Variação anual dos chifres e sua relação com os metabólitos de andrógenos fecais em machos do gênero Mazama (Artiodactyla; Cervidae)

Processo: 17/21960-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:José Maurício Barbanti Duarte
Beneficiário:Laura Dias Sponton
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia veterinária   Androgênios   Esteroides fecais   Mazama   Cornos

Resumo

Os cervídeos do gênero Mazama são muito importantes como parte da biomassa dos ambientes florestais do Brasil e várias das espécies vêm sofrendo declínio em razão das ações antrópicas. São ungulados pouco conhecidos, em especial quanto aos aspectos ligados ao ciclo de chifres dos machos e o papel das flutuações de testosterona na queda, crescimento e desencapamento do mesmo. Sabe-se, por meio de estudos com espécies de clima temperado, que o ciclo dos chifres está relacionado com à produção de testosterona, sendo um evento dependente do fotoperíodo. Contudo, as espécies de zona tropical, como as do gênero Mazama, têm demonstrado pouca sincronia na troca dos chifres, havendo apenas um estudo sobre monitoramento anual dos metabolitos de andrógenos fecais (MAF) e sua relação com o ciclo dos chifres realizado em uma espécie desse gênero. Frente a isso, pretende-se analisar as variações anuais dos MAF em machos do gênero Mazama, a fim de entender as flutuações anuais dos mesmos e compreender sua relação com os chifres. Para isso, serão utilizados nove machos, sendo três M. americana, três M. gouazoubira, um M. nana, um M. bororo e um M. nemorivaga, que estão disponíveis no Núcleo de Pesquisa e Conservação de Cervídeos da UNESP/Jaboticabal. As amostras fecais serão coletadas semanalmente pelo período de um ano e os níveis de MAF nas amostras serão quantificados utilizando-se um ensaio imunoenzimático de tipo competitivo para testosterona. Com esses resultados, espera-se obter um maior conhecimento sobre o padrão de secreção de andrógenos em cada uma das espécies do gênero Mazama e sua relação com o ciclo biológico dos chifres.