Busca avançada
Ano de início
Entree

A fotografia de natureza e seus influxos nas concepções infantis acerca dos direitos animais

Processo: 18/01574-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação
Pesquisador responsável:Luís Paulo de Carvalho Piassi
Beneficiário:Mariah Boratto Peixoto dos Santos
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Educação ambiental   Semiótica   Simbolismo   Proteção animal   Panthera onca   Natureza   Fotografias   Público infantil   Escola pública   São Paulo

Resumo

Almejando compreender a eficácia da utilização de fotografias de natureza com o público infantil a fim de desencadear reflexões acerca dos direitos animais, o presente projeto propõe o emprego de fotos de onças-pintadas (Panthera onca) durante as intervenções de divulgação científica/ativismo sociocientífico (REIS, 2013) realizadas pela linha de pesquisa D.I.A.N. - Debates e Investigações sobre Animais e Natureza -, integrante do projeto Banca da Ciência (PIASSI et al, 2017). Por meio de conceitos advindos da semiótica greimasiana e do semissimbolismo, as fotos a serem utilizadas serão analisadas a fim de verificar possíveis compreensões visuais por parte das crianças e as associações semânticas construídas sobre a figura da onça-pintada em diferentes contextos, avaliando se, e como, o gênero "fotografia de natureza" viabiliza a abordagem de temáticas como o desmatamento e fronteiras agrícolas, extinção, zoológicos e outras. A partir das verificações, e considerando a adequação do uso de recursos imagéticos por aspectos referentes tanto ao desenvolvimento infantil, consoante autores como Hayes e Kelly (1984), quanto à educação visual de maneira mais ampla, vide Sontag (2004), Colombini (2009) e Oliveira Jr. (2011), atividades que mesclem o lúdico ao reflexivo serão formuladas e aplicadas a crianças de idade entre 3 a 5 anos (alunos de escolas públicas de bairros periféricos da zona leste paulistana) buscando a promoção de questionamentos éticos sobre os animais e seus direitos desde a primeira infância. (AU)