Busca avançada
Ano de início
Entree

Um teste para a conexão Amazônia-Oeste África e os eventos de deriva polar verdadeira durante o Neoproterozóico

Processo: 17/18840-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Ricardo Ivan Ferreira da Trindade
Beneficiário:Paul Yves Jean Antonio
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06114-6 - O Sistema Terra e a evolução da vida durante o Neoproterozoico, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/23755-0 - Um teste para a conexão Amazônia-Oeste África: novos pólos paleomagnéticos para Oeste África, BE.EP.PD
Assunto(s):Paleomagnetismo   Cráton   Neoproterozoico   Amazônia   África Ocidental   Deslocamento (geologia estrutural)

Resumo

Neoproterozóico é um período marcado por variações climáticas extremas com a possibilidade de eventos de "snowball earth", mas também pela revolução biótica Ediacariana. Este período (1000-541 Ma) corresponde à transição entre o supercontinente Rodinia e a amalgamação do Gondwana. Mas os detalhes dessa evolução paleogeográfica são pouco conhecidos devido ao escasso banco de dados paleomagnéticos para os diferentes cratons. O cráton amazônico é uma das unidades para as quais poucos pólos de referência do Neoproterozóico estão disponíveis. Baseado em correlações geológicas e poucos dados paleomagnéticos, o craton sempre é associado ao cráton Oeste África desde o Paleoproterozóico (~2000 Ma) nas reconstruções paleogeográficas. Os dois crátons parecem ter uma história comum, mas com dados paleomagnéticos dispersos durante o Neoproterozóico, é impossível testar essa associação. Esta questão foi sintetizada por Zhao et al. (2002) da seguinte forma: "Did South America and West Africa marry and divorce or was it a long-lasting relationship?". O objetivo deste projeto é obter novos dados paleomagnéticos de refêrencia para o cráton amazônico e o cráton Oeste África durante o Neoproterozóico. Três alvos foram selecionados neste projeto para a amostragem, a suíte de Tampok (~809 Ma, Guiana Francesa), os enxames de diques Piranhas (~535 Ma, Tapajós, Brasil) e os enxames de diques Manso (~800 Ma) em Oeste África. Esses novos dados poderiam testar se uma longa conexão é paleomagneticamente viável entre os dois blocos cratônicos. Além disso, novos dados paleomagnéticos para o cráton Oeste África sugerem episódios muito rápidos de Deriva Polar Verdadeira (DPV) no Neoproterozóico (Robert et al., 2017). Com a sequência da Bacia de Camaquã (Cráton do Rio de la Plata), que é a única sequência completa do Neoproterozóico, testaremos a existência dos eventos de DPV. (AU)