Busca avançada
Ano de início
Entree

Hidrogéis contendo os repelentes geraniol e icaridina encapsulados em nanopartículas de zeína como alternativa para combate à arboviroses

Processo: 18/02404-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Leonardo Fernandes Fraceto
Beneficiário:Carolina Barbara Rogerio
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Nanobiotecnologia   Hidrogéis   Nanopartículas poliméricas   Sistemas de liberação de medicamentos

Resumo

Modificações no ambiente, tais como o crescimento populacional, processo de globalização e as mudanças climáticas são algumas das contribuições para o surgimento de epidemias. As principais arboviroses que acometem o país são a Dengue, Febre Amarela, Chikungunya e Zika, as quais possuem o mosquito Aedes aegypti como principal vetor. Tais doenças apresentam diversos sintomas como febre, cefaleia, exantema, mal-estar, edema e dores articulares. A utilização de repentes, têm sido um dos métodos utilizados para se proteger contra o mosquito. Sendo que esses produtos atuam formando uma camada sobre a pele com odor repulsivo ao inseto. No entanto, alguns repelentes comumente utilizados, têm apresentado toxicidade, especialmente para grupo de gestantes e recém-nascidos. Destaca-se ainda que esses grupos, são classificados como de risco para a vacinação (no caso de febre amarela), o que aumenta os riscos e a possibilidade de infecção. Neste contexto, o presente projeto visa desenvolver um repelente baseado em sistemas de liberação prolongada, a partir de nanopartículas de zeína contendo os ativos Icaridina e Geraniol incorporadas a uma matriz de gel de celulose. Esses sistemas permitiriam uma redução da quantidade de ativo, redução da toxicidade além do fato de que o uso de mistura de ativos poderá permitir a redução de processos de resistência pelos insetos. Além disso, serão realizados ensaios de estabilidade e liberação dos ativos dos hidrogéis a serem formulados. Assim, a presente proposta surgiu a partir da motivação para desenvolvimento de repelentes de longa duração que possam proteger a população e também assegurar a saúde e bem-estar, em especial à gestantes e recém-nascidos devido a busca de sistemas que possuam baixa toxicidade e alta eficácia.