Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da quitosana na biomodificação de dentina erodida: análise longitudinal clínica e fotográfica das restaurações

Processo: 17/25757-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Silmara Aparecida Milori Corona
Beneficiário:José Caetano de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística   Restauração dentária   Quitosana   Dentina   Erosão dentária   Tratamento de superfícies

Resumo

A aplicação de sistemas adesivos sobre dentina erodida pode representar um desafio à terapia restauradora, visto que as modificações que ocorrem na superfície dentinária, causadas pelo processo erosivo, comprometem a união do adesivo na matriz orgânica dentinária, o que diminui a qualidade e longevidade das restaurações. A aplicação clínica de substâncias biomodificadoras, como a quitosana, pode melhorar a resistência mecânica do colágeno, aumentando sua resistência à degradação das fibrilas colágenas, usadas como suporte para estabelecimento da interface adesiva. Portanto, torna-se relevante avaliar a influência da biomodificação da dentina erodida por um biopolímero (quitosana), a fim de possibilitar uma melhora de sua integridade estrutural e das restaurações realizadas. Este estudo tem o objetivo de avaliar a influência da biomodificação com quitosana em lesões de erosão por meio de análise longitudinal e fotográfica das restaurações realizadas. A amostra será composta por 20 pacientes entre 18 e 60 anos que apresentem lesões de erosão não cariosas, de profundidade rasa ou média, localizadas na superfície palatina ou lingual de pelo menos dois dentes homólogos (mínimo - 40 dentes). Os dentes de cada paciente serão distribuídos aleatoriamente em dois grupos de acordo com o tratamento da superfície da dentina: 1) sem biomodificação (controle) e 2) quitosana a 2,5%. Será realizado condicionamento com ácido fosfórico a 35% e em seguida, será realizada a lavagem da cavidade. Para o grupo que receberá a biomodificação com quitosana, será aplicada quitosana a 2,5% por 60 segundos, e a superfície será seca com papel absorvente. Em seguida, os espécimes serão restaurados com adesivo (Adper Single Bond 2 - 3M) e resina composta (Z250 - 3M). Para a análise clínica e fotográfica das restaurações, três profissionais calibrados e experientes utilizarão os critérios United States Public Health Service (USPHS) modificados no período de 7 dias (após o polimento) e 6 meses da realização das restaurações. Os dados obtidos serão analisados para escolha do método estatístico adequado. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE SOUZA, JOSE CAETANO; TEDESCO, ANTONIO CLAUDIO; UNTEN TAKAHASHI, LUANDRA APARECIDA; CURYLOFO-ZOTTI, FABIANA ALMEIDA; SOUZA-GABRIEL, ALINE EVANGELISTA; MILORI CORONA, SILMARA APARECIDA. Influence of nanoparticulated chitosan on the biomodification of eroded dentin: clinical and photographic longitudinal analysis of restorations. JOURNAL OF MATERIALS SCIENCE-MATERIALS IN MEDICINE, v. 32, n. 1 JAN 20 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.