Busca avançada
Ano de início
Entree

IMPORTÂNCIA DAS ENZIMAS ISOVALERIL-COA DESHIDROGENASE (1.3.8.4) E ENOIL-COA HIDRATASE (4.2.1.17) NO METABOLISMO DE LEUCINA Trypanosoma cruzi

Processo: 17/14334-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Ariel Mariano Silber
Beneficiário:Sabrina Del Carmen Marsiccobetre Castaneda
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06034-2 - O papel biológico de aminoácidos e seus metabólitos derivados em Trypanosoma cruzi, AP.TEM
Assunto(s):Trypanosoma cruzi   Bioenergética   Metabolismo de aminoácidos

Resumo

A doença de Chagas é causada pelo parasita Trypanosoma cruzi. Os aminoácidos têm funções em diversos processos biológicos do T. cruzi, além do seu óbvio papel como constituintes das proteínas, tais como diferenciação, invasão das células do hospedeiro mamífero, regulação do ciclocelular e resistência a diferentes tipos de estresse. No genoma de T. cruzi verificou-se a presença de fases abertas de leitura para sequências que codificam enzimas associadas ao catabolismo de leucina (Leu), valina (Val) e Isoleucina (Ile), aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA). Leu, diferentemente de Ile e Val, teria putativamente duas alternativas de degradação em T. cruzi já que o produto do terceiro passo da via da degradação de Leu poderia ser substrato da enzima Metilcrotonoil-CoA Carboxilase gerando metilglutaconil-CoA ou alternativamente da enzima Enoil-CoA Hidratase gerando hidroxivaleril-CoA. No primeiro caso a degradação continuaria até a produção de acetoacetil-CoA e posteriormente acetil-CoA, combustível do ciclo dos ácidos tricarboxílicos. No segundo caso, haveria uma derivação de carbonos para a biossíntese de lipídeos e/ou isoprenóides. Neste projeto propomos como objetivo avaliar a contribuição de Leu à produção de ATP e à síntese de lipídeos e/ou isopreníides pelas duas vias acima mencionadas, e o reflexo das vias metabólicas envolvidas em diferentes aspectos da biologia do parasita que são críticos para o estabelecimnento da infecção nos seus hospedeiros.