Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da microbioma intestinal em pacientes com diferentes formas de epilepsia e nas encefalites autoimunes mediante análise metagenômica

Processo: 18/00142-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Iscia Teresinha Lopes Cendes
Beneficiário:Diana Marcela Mejia Granados
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Epilepsia   Metagenômica   Neurologia   Microbiota

Resumo

Ao longo dos tempos, homem e microrganismos têm co-evoluído em simultâneo para integrar um complexo ecossistema. Após o nascimento, a microbiota humana é composta primordialmente por microrganismos não patogênicos que colonizam amplamente diversos órgãos e sistemas como a pele, boca, trato respiratório, gastrointestinal e urogenital. Essa microbiota varia de acordo com fatores como idade, gênero, dieta e estados de doença. O intestino é considerado o maior reservatório desses microrganismos, sendo que o cólon atinge a máxima densidade de germes. Estudos demostram que a microbiota entérica pode desempenhar um papel vital não apenas na adequada digestão dos alimentos e na manutenção da homeostase, mas também na progressão de doenças mediadas por mecanismos auto-imunes. Especialmente nas doenças que afetam o cérebro isso é feito através do eixo microbiota-intestino-cérebro que tem recebido cada vez mais atenção. Nesse contexto, o presente trabalho aplicará técnicas de sequenciamento de nova geração de amostras fecais com o objetivo de caracterizar a composição do microbioma intestinal de noventa pacientes divididos em três grupos, trinta pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial, trinta pacientes com epilepsias generalizadas genéticas e trinta pacientes com encefalites autoimunes, além de 30 indivíduos controle. Serão excluídos indivíduos com qualquer doença inflamatória intestinal ou com qualquer fator que possa interferir na composição da flora intestinal. Os resultados obtidos permitirão além de caracterizar pela primeira vez o microbioma intestinal nesses pacientes, será possível verificar se existe uma relação entre disbiose e características clínicas das doenças estudadas, tais como resistência ao tratamento medicamentoso e gravidade do quadro clínico. Como esses dados será possível verificar a possiblidade de uso de novas estratégias de tratamento como o transplante de microbiota fecal, uso de probióticos ou biocatalisantes.Palavras-chave: microbiota, microbioma, metagenômica.