Busca avançada
Ano de início
Entree

A crítica ambiental e as transformações da produção de soja e da pecuária de corte na Amazônia Brasileira

Processo: 18/00292-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Silvio Eduardo Alvarez Candido
Beneficiário:Silvio Eduardo Alvarez Candido
Anfitrião: Mark Granovetter
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Stanford University, Estados Unidos  
Assunto(s):Sociologia econômica   Movimentos sociais   Meio ambiente   Mercados   Amazônia

Resumo

Os condicionantes sociais da economia têm sido objeto da sociologia econômica contemporânea, destacando-se abordagens que sugerem que as ações econômicas ocorrem em esferas sociais moldadas por relações culturais e de poder denominadas de campos. Um dos desafios dessas abordagens é avançar na sua explicação dos processos de transformação das instituições que dão base para o funcionamento da economia. Buscando superá-lo, diversos autores têm apostado no diálogo com vertentes contemporâneas das teorias dos movimentos sociais. Isso por que essa área da sociologia política concentra-se justamente na explicação de transformações culturais baseadas em críticas à cultura dominante. Com base nessa literatura, ambientalismo pode ser tratado como um importante movimento social contemporâneo que impulsiona transformações nos mercados. Tratam-se de críticas que confrontam empresas poderosas, podendo induzir ao rompimento de sua inércia cultural. Quando exitosas, essas ações podem originar estruturas de governança ambiental nos mercados e novas categorias de produtos e serviços. O objetivo da pesquisa é analisar a influência da crítica ambiental na transformação da dinâmica da produção de soja e da pecuária de corte na Amazônia brasileira. Na medida em que essas atividades passaram a figurar entre os principais vetores do desmatamento da Amazônia, organizações ambientalistas desenvolveram diversas estratégias realizadas para lidar com a situação. Destacam-se duas ações estratégicas lideradas pelo Greenpeace Brasil em articulação com outras organizações públicas e privadas. Elas enfocaram grandes empresas processadoras de soja, grandes frigoríficos e alguns de seus principais clientes no mundo, denunciando publicamente seu envolvimento direto no desmatamento da região. Como resultado, após um período contencioso, as maiores empresas de processamento de soja e frigoríficos comprometeram-se com não adquirir produtos de áreas recentemente desmatadas, assinando a Moratória da Soja, válida desde 2006, o Compromisso Público da Pecuária, vigente desde 2009. Como decorrência dos acontecimentos do caso da pecuária, o Instituto Centro de Vida, organização ambientalista do Mato Grosso, passou ainda a atuar na assistência técnica e ambiental à pequenos e médios pecuaristas, dando origem em 2015 uma empresa denominada Pecuária Sustentável da Amazônia.Para compreender esses acontecimentos, um estudo qualitativo será conduzido com base na abordagem do estudo de caso. Trata-se de um estudo longitudinal, que enfocará a trajetória das arenas sociais e dos atores envolvidos de forma comparativa. O levantamento de dados se dará de forma progressiva, com base na construção dos objetos de pesquisa como um conjunto de campos inter-relacionados. Serão utilizadas fontes secundárias, como artigos, dossiês, relatórios, comunicados à imprensa, contratos, material publicitário e matérias veiculadas na mídia. Entrevistas semiestruturadas com atores chave envolvidos também serão realizadas. A análise de dados se dará com base em diversas técnicas, como categorização dos dados e de construção de narrativas, a análise textual por computador, de análise do discurso e a análise de redes sociais. A pesquisa é relevante tanto do ponto de vista teórico quanto prático. Teoricamente, ela contribuirá para articular abordagens sociológicas contemporâneas propiciando uma melhor compreensão dos processos de mudança das instituições que condicionam o funcionamento econômico. Da perspectiva aplicada, lidará com uma temática importante para o Brasil e para o mundo, que é a conservação da Amazônia, ajudando a compreender os limites e possibilidades de estratégias ambientalistas orientadas à transformação da dinâmica de setores produtivos para conter o desmatamento. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.