Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Avaliação em larga escala das ameaças antrópicas à biodiversidade aquática da Amazônia

Processo: 17/25383-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Silvio Frosini de Barros Ferraz
Beneficiário:Cecília Gontijo Leal
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia aquática   Fauna aquática   Conservação da biodiversidade   Florestas tropicais

Resumo

O desmatamento e a degradação florestal têm resultado em grandes alterações dos ambientes tropicais em todo o mundo. Enquanto evidências dos ecossistemas terrestres demostram a severidade desses distúrbios para a biodiversidade e a provisão de serviços ecossistêmicos, as consequências aos cursos d'água permanecem pouco conhecidas. Este é o caso da bacia Amazônica, a maior do mundo em volume e área, particularmente da sua complexa rede de pequenos igarapés que compõem a grande maioria dos cursos d'água da bacia. Os igarapés fazem a conexão entre os ecossistemas terrestre e aquático através das paisagens. Além disso abrigam grande parte da fauna de peixes, dessa bacia que por si só é a mais diversa do mundo. O planejamento da conservação da Amazônia, bioma caracterizado por uma enorme lacuna de conhecimento, é um desafio. As estratégias de manejo baseiam-se principalmente em critérios desenvolvidos para a biodiversidade terrestre, o que provavelmente não protege de forma efetiva os cursos d'água. Neste projeto, abordaremos parte dessa lacuna de conhecimento investigando se as áreas mais relevantes à conservação da biodiversidade aquática e terrestre são congruentes e como as ameaças à biodiversidade dos igarapés estão distribuídas e sobrepostas em toda a Amazônia. Vamos utilizar dados de biodiversidade já coletados nos municípios de Santarém e Paragominas, PA, bem como um amplo conjunto de indicadores de pressão antrópica que afetam os igarapés direta e indiretamente (e.g. desmatamento, fogo, pequenas barragens, etc) a serem obtidos a partir de imagens de satélite para a Amazônia brasileira. Os resultados serão usados para sugerir prioridades de manejo e conservação dos sistemas aquáticos Amazônicos em particular, e para florestas tropicais antropizadas em geral.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.