Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dos remanescentes de vegetação da Mata Atlântica na modelagem de distribuição de espécies de aves com diferentes graus de dependência florestal

Processo: 18/02591-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Fernando Rodrigues da Silva
Beneficiário:Anna Elizabeth de Oliveira Silva
Instituição-sede: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Destruição de habitat   Fragmentação

Resumo

A modelagem de distribuição de espécies é uma ferramenta amplamente utilizada em estudos biogeográficos, nos quais se pretende investigar como fatores abióticos e bióticos das localidades onde as espécies ocorrem produzem uma estimativa de sua distribuição geográfica. Apesar de grande parte dos estudos utilizarem apenas dados climáticos como referência, variáveis como uso da terra e cobertura vegetal tem sido recentemente inclusas nas modelagens. De forma geral, espera-se que modelos que incluam dados sobre vegetação sejam mais acurados; no entanto, essa premissa pode variar de acordo com a história natural da espécie. Nesse contexto, modelos baseados em dados de áreas vegetação nativa podem fornecer informações importantes para a conservação, principalmente em regiões que abrigam espécies florestais endêmicas e ameaçadas, como é o caso do bioma Mata Atlântica. No entanto, para que a qualidade dos dados seja garantida, modelagens com grupos representativos são preferíveis; a avifauna, grupo amplamente estudado, diverso e ameaçado, se encaixa nesses critérios. Considerando tais fatores, pretendemos desenvolver modelos de distribuição para 12 espécies de aves endêmicas da Mata Atlântica que apresentam diferentes graus de dependência florestal. Para isso, delimitaremos mapas consensuais com base em diferentes algoritimos de modelagens, considerando dois conjuntos de variáveis preditoras: i) somente variáveis climáticas; e ii) variáveis climáticas + áreas dos remanescentes de vegetação nativa. Nossa predição é que a inclusão de dados cobertura vegetal fornecerá resultados mais acurados sobre as áreas de ocorrência das espécies com alto grau de dependência florestal do que os modelos gerados apenas com informações climáticas. Esperamos que os resultados finais sirvam de subsídio para discutir os impactos da fragmentação florestal na conservação da avifauna na Mata Atlântica.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.