Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantas vezes devemos queimar o cerrado? o efeito da frequência do fogo em comunidades vegetais de campo sujo de cerrado

Processo: 17/22618-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Cassy Anne dos Santos Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/06743-0 - Como a época do fogo afeta a vegetação do cerrado?, AP.JP
Assunto(s):Biodiversidade

Resumo

A frequência é um dos fatores do regime de fogo de uma vegetação e alterações nela podem ser prejudiciais até mesmo para plantas e comunidades adaptadas ao fogo. Uma vez que a frequência de incêndios influencia sua composição, estrutura e produtividade. Portanto, este estudo busca compreender os efeitos de diferentes frequências de fogo na comunidade de Cerrado. Para isso, serão realizados levantamentos da vegetação e coleta de biomassa em áreas com diferentes históricos de fogo (> 6 anos sem queima, queimadas anualmente e bienalmente há 5 anos), o que fornecerá os dados de composição, estrutura e produtividade da2comunidade. Os levantamentos, incluindo a cobertura (%) e altura por espécie, serão realizados em 10 subparcelas de 1x1m por tratamento (10 subparcelas/tratamento, 3 tratamentos, 4 parcelas/tratamento). Pretende-se também avaliar através da taxa de propagação (m.s-1), eficiência de queima (%) e intensidade do fogo (kW.m-1) entre outros parâmetros do fogo, os efeitos de diferentes frequências no comportamento do fogo. Assim, busca-se entender a influência e importância da frequência do fogo na dinâmica e montagem de comunidades vegetais de Cerrado, bem como no comportamento do fogo. O que deve contribuir com o desenvolvimento de estratégias de manejo de fogo para conservação deste ecossistema. (AU)