Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma nova vacina veterinária de subunidade contra raiva

Processo: 18/10119-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 10 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Helio Langoni
Beneficiário:Mayra Pereira Rocca
Supervisor no Exterior: Byron Martina
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Artemis One Health Research Foundation, Holanda  
Vinculado à bolsa:16/07820-1 - Desenvolvimento de uma nova vacina veterinária de subunidade contra raiva, BP.DR
Assunto(s):Vacinas   Imunização   Vacinação   Raiva (doença infecciosa)

Resumo

A raiva é uma doença viral zoonótica fatal que afeta várias espécies de mamíferos. O vírus é transmitido aos seres humanos principalmente por cães raivosos, causando pelo menos 55.000 mortes humanas a cada ano, principalmente na África e na Ásia. A vacinação em massa de cães tem sido a base do sucesso do controle da raiva canina. As vacinas atualmente disponíveis são caras e requerem imunização intensiva e esquemas de reforço para manter a imunidade protetora. A glicoproteína do vírus da raiva (RVGP) é o antígeno responsável pela indução de anticorpos neutralizantes pelo sistema imune do hospedeiro, protegendo-a contra infecção viral. Um adjuvante que aumentaria a imunogenicidade da vacina e permitiria uma redução do número de doses seria, assim, muito útil para reduzir o custo e as falhas da vacina devido a vacinações incompletas. Os complexos imunoestimulantes (ISCOMs) são partículas esféricas de adjuvante semelhantes a gaiolas compostas de colesterol, fosfolípido e saponinas (derivadas da árvore Quillaja saponaria) que são mantidas juntas por interações hidrofóbicas, fatores estéricos e ligações de hidrogênio. O adjuvante ISCOM possui uma entrega eficiente de antígeno e propriedades imunoestimulantes que, em combinação com a proteína G recombinante, podem ser boas para a geração de uma resposta imunológica adequada. Exclusivamente entre as vacinas, aquelas para a raiva podem ser administradas tanto antes quanto depois da exposição ao vírus. Isto é principalmente através do desenvolvimento de anticorpos neutralizantes. Um alto nível de anticorpos neutralizantes se correlaciona essencialmente à proteção contra a raiva, capaz de interromper a infecção antes de sua disseminação. Embora vacinas antirrábicas veterinárias estejam disponíveis e gratuitas em muitos lugares, há uma importante falha de cobertura devido à necessidade de constantes reforços, o que leva muitos proprietários a pararem de vacinar seus animais de estimação e gado. Tendo isto em mente, o desenvolvimento de novas vacinas contra a raiva deve visar o aumento do intervalo entre as doses de reforço, ou mesmo facilitar o processo de administração. O objetivo desta pesquisa é desenvolver um protótipo de vacina baseado no uso de uma glicoproteína recombinante do envelope do vírus da raiva. Pretendemos utilizar RVGP combinado com diferentes adjuvantes e o uso de diferentes vias de imunização em modelo animal, verificando os níveis de proteção. A obtenção de uma nova formulação para a prevenção da raiva canina pode gerar uma nova vacina inovadora, especialmente se for eficaz por via oral. (AU)