Busca avançada
Ano de início
Entree

Cobertura florestal e isolamento afetam a produtividade anual do café na região da Mata Atlântica

Processo: 18/06330-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 10 de julho de 2018
Vigência (Término): 09 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Jean Paul Walter Metzger
Beneficiário:Adrian David González Chaves
Supervisor no Exterior: Lucas Alejandro Garibaldi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad Nacional de Río Negro, San Carlos de Bariloche (UNRN), Argentina  
Vinculado à bolsa:17/19411-1 - Conservação de abelhas e o serviço de provisão utilizando a perspectiva da paisagem para alcançar uma meta em comum, BP.DR
Assunto(s):Ecologia da paisagem   Polinização   Serviços ambientais

Resumo

A polinização é um processo natural que afeta a produtividade e a estabilidade dos cultivos em função da dependência do cultivo da polinização. Os benefícios dos polinizadores podem ser melhorados através do manejo da paisagem, facilitando o fluxo dos polinizadores das áreas de origem para as culturas. No entanto, nossa compreensão sobre o papel da vegetação nativa como fonte polinizadora é limitada a estudos em escala local, mas há lacunas sobre essa relação em maiores extensões territoriais. Para explorar esta questão, testaremos se a estrutura da paisagem (por exemplo, quantidade e configuração da floresta, cobertura do café, heterogeneidade da paisagem) contribui para a produtividade do café no nível municipal em todo o bioma da Mata Atlântica na última década. Através desta análise, pretendemos estimar a contribuição da estrutura da paisagem para o rendimento do café, independentemente de outras variáveis socioambientais. Vamos testar essas ligações para duas espécies de café, a Coffea canefora e Coffea arábica que é menos dependente de polinizadores. Assim, esperamos uma relação mais forte entre a estrutura da paisagem e a produtividade da Coffea canephora quando comparada com a Coffea arabica. Usaremos mapas anuais de uso da terra para calcular as métricas da estrutura da paisagem. Além disso, a diversidade de usos da terra agrícola será avaliada como uma estimativa para a heterogeneidade da composição da paisagem. As variáveis socioambientais (por exemplo, manejo, clima e características do solo) serão consideradas como covariáveis. Paisagens com quantidade intermediária de habitat são capazes de manter a biodiversidade e, ao mesmo tempo, ter uma alta variação na configuração. Portanto, esperamos que sejam mais produtivos os municípios com essa estrutura de paisagem, uma vez que a fragmentação aumenta o fluxo de polinizadores da floresta para o café, enquanto minimiza a proporção de fragmentos de café isolados. Espera-se que a heterogeneidade da paisagem, que é tipicamente associada com o manejo do solo menos intenso e campos de cultivo menores, esteja positivamente relacionada com a produtividade. Nosso trabalho visa fornecer evidências, em nível regional, dos benefícios do manejo integrado da paisagem de terras agrícolas e fragmentos florestais relacionando-os diretamente com a produtividade das culturas. (AU)