Busca avançada
Ano de início
Entree

Emprego de condicionador ácido contendo Proantocianidina como agente cross-linker

Processo: 18/05645-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Lourenço de Moraes Rego Roselino
Beneficiário:Yumi Chokyu Del Rey
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Resistência de união (odontologia)   Microtração   Dentina   Metaloproteases   Colágeno   Proantocianidinas   Reagentes para ligações cruzadas   Adesivos dentinários

Resumo

A integridade da interface adesiva é de fundamental importância para garantir a longevidade das restaurações de resina composta, e a busca por meios de preservá-la ainda constitui um desafio para a Odontologia. A hidrólise de fibrilas colágenas na interface dente-restauração por metaloproteinases (MMPs) do hospedeiro tem sido considerada uma das principais responsáveis pela diminuição da resistência de união entre a resina composta e o dente. Sendo assim, a preservação da integridade estrutural do colágeno, tornando-o mais resistente à hidrólise por MMPs, pode contribuir para o aumento da longevidade das restaurações de resina composta. A Proantocianidina (PA), um agente formador de ligação cruzada (cross-linker) de colágeno largamente encontrado na natureza, tem sido reconhecida pela sua capacidade de aumentar a resistência das fibrilas colágenas, minimizando a ativação de MMPs. A literatura, no entanto, carece de estudos conclusivos a respeito de maneiras de incorporar a PA ao protocolo adesivo restaurador de modo efetivo e sem comprometimento do tempo clínico. Dessa forma, o objetivo desse estudo será avaliar, por meio dos ensaios de microtração (n=6) e microscopia eletrônica de varredura (n=3), a resistência de união da restauração de resina composta à dentina 24 horas após o tratamento da superfície dentinária, de acordo com os grupos: G1) sistema adesivo autocondicionante - controle, G2) sistema adesivo de condicionamento ácido prévio 35% - controle, G3) ácido fosfórico 35% - experimental; G4) PA incorporada ao ácido fosfórico 35% - experimental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: