Busca avançada
Ano de início
Entree

A comunicação entre células do microambiente tumoral mediada por vesículas extracelulares favorece o estabelecimento de nicho tumoral

Processo: 18/08924-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 30 de agosto de 2018
Vigência (Término): 29 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Adriana Franco Paes Leme
Beneficiário:Ana Karina de Oliveira
Supervisor no Exterior: Jay William Fox
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Virginia (UVa), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/19337-3 - Efeito de vesículas extracelulares de câncer de boca na diferenciação de macrófagos, BP.PD
Assunto(s):Microambiente tumoral   Vesículas extracelulares   Neoplasias   Macrófagos   Organoides   Neoplasias bucais

Resumo

O carcinoma espinocelular de cavidade oral (OSCC) é o tumor maligno mais incidente no câncer de cabeça e pescoço, com 300.000 novos casos e 145.000 mortes por ano em todo o mundo, com taxa sobrevida de 50% dos casos avançados após cinco anos de diagnóstico. Os mecanismos moleculares envolvidos no estabelecimento deste tumor são pouco caracterizados e atualmente não há marcadores moleculares disponíveis na prática clínica. Nesse contexto, o atual projeto FAPESP de pós-doutorado (Processo 2016/19337-3) estuda o conteúdo proteico de vesículas extracelulares (VES) derivadas de diferentes de células de câncer oral com pouco e alto grau de agressividade para entender seu possível papel na modulação do microambiente tumoral, regulação imunológica e progressão tumoral. No entanto, a comunicação tumor-estroma não é um processo unidirecional, impulsionado apenas por células cancerígenas, mas também por células residentes, como os fibroblastos associados ao câncer (CAFs), macrófagos, células endoteliais, células-tronco, fatores secretados e outros componentes da matriz extracelulares (MEC), e todos eles podem alterar e ser alterados pelo microambiente. Portanto, para complementar o projeto principal, propomos este projeto BEPE para avançar no conhecimento sobre a transferência de moléculas bioativas por VEs, usando células-tronco pluripotentes humanas induzidas (hiPSC), derivadas de células saudáveis e afetadas pelo câncer e a tecnologia de organoides. Esta estratégia de pesquisa possibilitará o estudo do comportamento do tumor oral, de modo reducionista e integrado, utilizando para isso diferentes ferramentas analíticas, como LC-MS/MS (DDA e SRM), NGS e imunofluorescência de um painel de alvos. As hiPSCs são conhecidas por conservarem a diversidade genética dos doadores, podendo recapitular a tumorigênese in vitro, servindo, assim, como um modelo de estudo de células-tronco de câncer (CSC) e células cancerígenas diferenciadas. Compreender os mecanismos moleculares implicados na comunicação entre as células do microambiente tumoral pode fornecer novas perspectivas para o estabelecimento e progressão do tumor e, no futuro, identificar moléculas importantes que possam melhorar o diagnóstico, o prognóstico, o estadiamento e o tratamento de OSCC. Finalmente, a colaboração de longo prazo entre os grupos UVA e CNPEM pode fornecer aprendizado científico e técnico para ambos os lados.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.