Busca avançada
Ano de início
Entree

Parâmetros parasitológicos, metabólicos e ecologia trófica de Oreochromis niloticus cultivados e silvestres, Rio Grande, SP

Processo: 18/08164-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 09 de julho de 2018
Vigência (Término): 08 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Igor Paiva Ramos
Beneficiário:Cibele Diogo Pagliarini
Supervisor no Exterior: Juan Antonio Balbuena Diaz-Pines
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universitat de València, Espanha  
Vinculado à bolsa:16/23468-6 - Dieta, helmintofauna e aspectos metabólicos de Oreochromis niloticus oriundas de escapes de pisciculturas em tanques-rede, BP.MS
Assunto(s):Impactos ambientais   Tilápia   Meio ambiente

Resumo

A produção de pescados provenientes da aquicultura brasileira totalizou 507,12 mil toneladas em 2016, sendo Oreochromis niloticus a principal espécie produzida, com 239,09 mil toneladas ou 47,1% do total produzido. Conhecida popularmente como tilápia-do-Nilo, O. niloticus, pertence à família Cichlidae (Perciformes). Apresenta rápido crescimento, reprodução tardia, alta prolificidade, hábito alimentar onívoro, facilitando a aceitação de rações, além, de boa adaptação ao confinamento. Porém, apesar das tilápias serem alvo de muitos estudos, devido a sua grande produção comercial e consumo, existem alguns pontos ainda não esclarecidos, como os efeitos ambientais do escape desses indivíduos dos sistemas de cultivo sobre o meio ambiente. Dessa forma, o presente projeto tem como objetivo avaliar três vertentes: ecologia trófica, parasitologia (endo e ectoparasitas) e metabolismo (lipídeos, proteínas, carboidratos e ácidos graxos) de Oreochromis niloticus oriundos de tanques-redes e silvestres. Foram realizadas duas coletas em uma piscicultura em tanques-rede no munícipio de Santa Clara D'Oeste - SP, no braço Can-Can. Sendo coletados 50 animais por coleta, 25 exemplares de tanques-rede e 25 silvestres, para avaliações de dieta e parasitologia. Foram coletados ainda, outras espécies de peixes silvestres, que habitam as adjacências dos tanques de cultivo, para análises de dieta. As análises metabólicas foram realizadas com 40 exemplares, sendo 20 por coleta (10 de cultivos e 10 silvestres). Dessa forma, a ideia central desse trabalho é interpolar todos os dados de dieta, parasitológicos e metabólicos com auxílio matemático e estatístico, utilizando, em especial, os softwares PRIMER + PERMANOVA e RStudio.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.