Busca avançada
Ano de início
Entree

Fadiga de aços de baixa densidade conformados por spray obtidos por reciclagem de ligas de alumínio de fundição

Processo: 18/04142-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Claudemiro Bolfarini
Beneficiário:André Luiz Vidilli
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/05987-8 - Processamento e caracterização de ligas metálicas amorfas, metaestáveis e nano-estruturadas, AP.TEM
Assunto(s):Fadiga

Resumo

Os aços de baixa densidade são materiais avançados que estão sendo amplamente estudados devido ao seu elevado potencial para aplicação na indústria automobilística, que busca a redução do peso estrutural de seus veículos, e, consequentemente, aumento da eficiência energética. Estes aços estão em destaque devido a elevada ductilidade derivada de fenômenos de incremento de plasticidade (TRIP, TWIP e MBIP) e também, à baixa densidade obtida pela adição de elementos como o Mn, Al e C. As principais composições já estudadas pertencem ao sistema Fe-Mn-Al-C, sendo que tanto os elementos de liga, quanto o processamento do material são determinantes da microestrutural final e, portanto, determinam as propriedades mecânicas do aço. Embora muito estudado atualmente, o comportamento desses aços em carregamentos cíclicos ainda não é bem compreendido, havendo diversas divergências na literatura, deste modo, o objetivo deste projeto de mestrado é avaliar a fadiga de aços de baixa densidade conformado por spray. As composições serão determinadas por meio de cálculos termodinâmicos (visando o efeito TRIP e TWIP) e obtidas por meio da reciclagem de ligas de alumínio de fundição, que também são empregadas na indústria automobilística (bloco de motor e caixa de câmbio, por exemplo). Os tarugos serão fabricados via conformação por spray e, posteriormente, conformados mecanicamente até que atinjam a forma de chapa. O material será caracterizados por microscopia ótica e eletrônica, e corpos de prova serão usinados para a realização de ensaios estáticos e dinâmicos para determinação do limite de escoamento, limite de resistência a tração e fadiga. (AU)