Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma busca pela alteridade do divino e suas figurações poéticas em die Niemandsrose, de Paul Celan

Processo: 18/07842-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Línguas Estrangeiras Modernas
Pesquisador responsável:Helmut Paul Erich Galle
Beneficiário:Fernanda Bender Gonçalves
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Judaísmo

Resumo

Este projeto busca esmiuçar a problemática das figurações do divino - isto é, das formas de representação poética que assume o elemento religioso - nos primeiros dois ciclos de Die Niemandsrose (1963), quarto volume de poemas de Paul Celan. A particularidade desta tarefa recai sobre alguns motivos, como, por exemplo, ter sido essa a obra na qual questões relativas ao judaísmo, ou seja, o aspecto religioso e cultural da fé judaica, ganharam mais profundidade no campo temático do autor. Deixando entrever um grande potencial de abertura referencial, as figurações que assume o divino nos primeiros dois ciclos de Die Niemandsrose se manifestam sob variadas, oscilantes e até paradoxais formulações. Mais do que isto, a pluralidade de tais figurações é responsável pela fragmentação de uma concepção religiosa una - o poeta não fala de um divino absoluto, mas de um multifacetado. O resultado é uma abertura dialógica entre fé, história e contexto cultural que, como uma parcela representativa da obra, não deixa também de significá-la. Esta pesquisa busca, assim, compreender as variadas abstrações figurativas que permeiam a construção cíclica da obra, posicionando-as no contexto de Die Niemandsrose como um todo. Através da análise de quatro poemas - (1) Es war Erde in ihnen", (2) Psalm", (3) Radix, Matrix" e (4) Benedicta" -, o método escolhido para trabalhar essa problemática foi, por enquanto, limitar tais figurações à esfera simbólica, portanto pluridimensional, e, desta forma, investigar as diferentes naturezas que parecem a constituir. De modo mais detalhado buscarei ressaltar a relação, nos poemas, do homem com a sua concepção de divino. Essa perspectiva me parece relevante à medida em que parece haver, na obra, uma progressiva busca pelo Outro; busca que, até certo ponto, tentarei compreender se se confunde com a própria presença - seja ela imagética, vocativa, semântica etc. - deste multifacetado elemento divino.