Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da proximidade a pontos estratégicos e imóveis especiais urbanos na incidência de Dengue no município de Campinas–SP

Processo: 17/19446-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Marcos César Ferreira
Beneficiário:Jessica Andretta Mendes
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/22787-9 - Estudo de métodos de estatística espacial para avaliar a associação entre a incidência de dengue e a proximidade a locais cogitados como fontes de aumento de risco no município de Campinas, Brasil, BE.EP.DR
Assunto(s):Epidemiologia   Dengue   Análise espacial   Estatística   Sistema de informação geográfica (SIG)   Campinas (SP)

Resumo

A principal medida preventiva contra epidemias de Dengue é o controle do surgimento e desenvolvimento do Aedes aegypti, haja vista que a vacina disponível não é totalmente eficaz e apresenta algumas limitações. Dentre as diversas ações adotadas pelas prefeituras municipais, está o cadastro de Pontos Estratégicos e Imóveis Especiais (PE-IE). Estes locais são assim classificados por apresentarem, respectivamente, alta concentração de depósitos preferenciais para a desova da fêmea do mosquito Aedes aegypti e por serem relevantes para a disseminação do vírus da Dengue, em função do grande fluxo e/ou permanência de pessoas nestes locais. Embora haja estudos que têm destacado a importância destes imóveis no surgimento do mosquito e na disseminação da Dengue, eles não têm determinado com precisão o efeito da distância a estes pontos nos valores de incidência local da Dengue. Neste contexto, o objetivo desta pesquisa é avaliar a influência da distância entre os endereços das pessoas infectadas e os PE-IE na incidência de casos de Dengue entre 2013 e 2016, no município de Campinas, São Paulo. Isso será realizado por meio do uso de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), bem como pela aplicação de técnicas de estatística e análise espacial. Os resultados obtidos na conclusão desta pesquisa poderão contribuir para a logística das atividades de vigilância e de controle epidemiológico de Campinas e de outros municípios brasileiros onde as epidemias são recorrentes. Além disto, o produto final poderá indicar locais mais críticos, onde deve ser dada maior atenção ao combate larval, diminuindo custos e aprimorando o trabalho dos agentes. (AU)