Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do efeito do tratamento por fotobiomodulação e diclofenaco sobre o processo inflamatório em modelo experimental de lesão muscular por trauma em ratos diabéticos

Processo: 18/00633-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Rodrigo Leal de Paiva Carvalho
Beneficiário:Marina Gaiato Monte
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   Inflamação   Terapia a laser de baixa intensidade   Sistema musculoesquelético   Diclofenaco   Expressão gênica   Modelos animais

Resumo

O diabetes mellitus é um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresentam em comum hiperglicemia, caracterizado por resposta secretória inadequada de insulina, defeitos na ação da insulina, ou ambos. Tal quadro pode resultar em atrasos no processo de reparo após lesão do musculesquelético, alterando sua morfologia e resultando um processo inflamatório exacerbado. Diferentes tipos de terapias, farmacológicas e não farmacológicas, têm sido utilizadas no tratamento de lesões musculares, como drogas anti-inflamatórias e a fotobiomodulação. No entanto, pouco se sabe a respeito do processo inflamatório após uma lesão no quadro de diabetes. O objetivo deste projeto é analisar a ação da terapia por fotobiomodulação de forma isolada ou combinada com diclofenaco, no processo inflamatório, decorrente da lesão muscular por trauma no músculo tibial anterior, em ratos induzidos ao diabetes. A indução do diabetes será por meio da administração de estreptozotocina (50 mg/kg). Os animais receberão um trauma no membro pélvico direito. A aplicação da fotobiomodulação será realizada na região do trauma, uma hora após a indução da lesão muscular (3J), durante 30s. Diclofenaco será aplicado uma hora após o protocolo da lesão (11.6 mg g -1) topicamente. Serão analisadas as expressões gênicas de TNF-±, IL-1², IL-6, IL-10 e miostatina, que serão quantificadas através da reação em cadeia da polimerase (PCR) em tempo real, em musculoesquelético. Todas as análises serão realizadas nos tempos de 24, 48 e 96h após a indução da lesão. (AU)