Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma metodologia para o diagnóstico colorimétrico de microrganismos em sangue

Processo: 17/27013-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Juliana Vieira Alberice
Beneficiário:Fernanda Souza Canoas
Empresa:Solve Biotechnology Ltda. - ME
CNAE: Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos
Vinculado ao auxílio:17/06939-8 - Plataforma microfluídica de baixo custo para diagnóstico molecular de microrganismos em bolsas de sangue, AP.PIPE
Assunto(s):Microfluídica   Contaminação   Transfusão de sangue   Bolsas plásticas para preservação de sangue   Biologia molecular   Reação em cadeia por polimerase (PCR)

Resumo

A ocorrência de infecções microbianas associada às transfusões de sangue assumiu papel de destaque na medicina transfusional atual. Estudos demonstram que o risco de contaminação bacteriana é muito maior do que contaminação por vírus atualmente pesquisados, como HBV, HCV e HIV entre outros. As medidas adotadas até hoje têm limitações diagnósticas e, neste sentido, uma metodologia que tenha alto grau de sensibilidade, especificidade e reprodutibilidade, constituem uma ferramenta importantíssima na segurança transfusional e na garantia da qualidade na produção de hemocomponentes. As técnicas de biologia molecular vêm sendo utilizadas para o diagnóstico permitindo resultados rápidos, precisos e confiáveis. A PCR (Polimerase Chain Reaction) é a ferramenta de amplificação mais utilizada para diagnóstico, porém, exige equipamentos custosos para alcançar as variações de temperatura exigidas pela técnica. Além disso, a avaliação dos resultados não é direta e necessita-se de outras ferramentas para visualização dos amplicons gerados, como eletroforese em gel, capilar ou microchip. Assim, as técnicas de amplificação isotérmicas surgem como alternativa à PCR, com a vantagem de aliarem a amplificação em uma única temperatura e por poderem ser detectadas colorimetricamente. (AU)