Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivo da Chlorella sp em reator do tipo Air Lift: influência do teor de CO2 nos parâmetros reológicos da biomassa

Processo: 18/02077-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Daniela Helena Pelegrine Guimarães
Beneficiário:Gilberto Ribeiro Pinto Júnior
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Assunto(s):Reologia   Biomassa   Chorume   Chlorella   Microalgas   Reatores biológicos   Biorrefinarias

Resumo

A demanda do setor energético é um dos fatores culminantes para incentivar pesquisas que impulsionam a produção de biocombustíveis. Nesse contexto, as microalgas vêm despertando interesse nos cenários energético e ambiental. Sua elevada taxa de proliferação, a não necessidade de terras e de água previamente tratada para cultivo, além do amplo potencial de aproveitamento como fonte de biocombustíveis, no conceito das biorrefinarias, são vantagens que apontam para o sucesso desta pesquisa. O presente projeto faz parte de um projeto concedido na modalidade de Apoio Regular à Pesquisa (Fapesp N. 2016/23416-6) e tem por objetivo analisar o comportamento reológico de suspensões da microalga Chlorella sp cultivada em solução de chorume 10%, em biorreator Air Lift. Será avaliado os efeitos do teor de CO2 no cultivo, com relação às seguintes variáveis de resposta: parâmetros reológicos, concentração de biomassa e produtividade em lipídeos. Uma vez finalizado o tempo de cultivo no reator, a biomassa será liofilizada e então quantificada com relação ao teor de umidade e lipídeos. Os ensaios reológicos serão feitos no reômetro Brookfield (modelo LVDV-3T), de maneira automatizada e com temperatura controlada, por meio do software Rheocalct e do banho termostático TC-550SD (ambos adquiridos no Projeto Fapesp 2016/23416-6). Os ensaios serão realizados em triplicata, sendo utilizada uma nova amostra para cada repetição. As leituras serão feitas a cada intervalo de tempo pré-programado e, para cada ponto, serão obtidos dados de taxa de deformação, tensão de cisalhamento, viscosidade e temperatura. (AU)