Busca avançada
Ano de início
Entree

O efeito das estradas sobre a dinâmica florestal em fragmentos de Mata Atlântica

Processo: 17/17659-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Simone Rodrigues de Freitas
Beneficiário:Artur Lupinetti Cunha
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Fragmentos florestais   Dinâmica florestal   Restauração florestal   Mata Atlântica   Desmatamento   Estradas   Geoprocessamento   Modelos lineares

Resumo

A perda e fragmentação de habitat é um problema que vem atingindo os biomas brasileiros ao longo das décadas. A ação antrópica é o principal agente deste processo, destacando-se a expansão da malha viária, que estimula mudanças no uso da terra e aumenta o efeito de borda, podendo afetar a dinâmica florestal, que por sua vez é altamente influenciada pelas características da paisagem ao redor dos fragmentos florestais. Visto isso, o presente projeto visa entender a relação entre estradas com a dinâmica florestal e a qualidade de vegetação nos fragmentos na Mata Atlântica, de modo que o planejamento de infraestruturas viárias e projetos de restauração considerem cada vez mais o contexto numa escala de paisagem. Serão utilizados softwares de geoprocessamento para cruzar os mapas de estradas e da variação da cobertura de vegetação nativa do bioma, que serão analisados através de modelos lineares. Para verificar o efeito da presença de estradas sobre a qualidade da vegetação serão utilizadas imagens EVI (Enhanced Vegetation Index) para calcular os valores de índice de vegetação dos fragmentos ao longo do tempo. Serão criados modelos simples e modelos mais complexos adicionando covariáveis (características da paisagem e clima) uma a uma, e será utilizada a abordagem de seleção de modelos pelo Critério de Informação Akaike. Espera-se encontrar uma maior desmatamento e menor regeneração próximo a estradas, bem como tendências de redução do índice de vegetação dos fragmentos mais próximos a estradas. (AU)