Busca avançada
Ano de início
Entree

Diferenciação das manifestações linguísticas em crianças com o diagnóstico de distúrbios dos sons da fala

Processo: 18/04353-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Larissa Cristina Berti
Beneficiário:Luiza Polli
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Fonologia   Transtorno fonológico   Distúrbios da fala   Variação linguística   Testes de articulação da fala   Diadococinesia   Consciência fonológica   Crianças

Resumo

Os atrasos no desenvolvimento fonológico (ADF) referem-se a um subtipo de alteração de fala mais comum na infância, acometendo, aproximadamente, 50 a 60% das crianças com essa alteração. Embora as manifestações linguísticas das crianças com ADF sejam descritas como sendo similares, ou seja, uso de processos fonológicos persistentes, supõe-se que as crianças com inventários fonético-fonológicos mais reduzidos apresentariam uma maior restrição motora quando comparadas às crianças com padrões de erros persistentes, mas que não possuem inventários fonético-fonológicos tão restritos. Essas restrições motoras das crianças com inventários reduzidos poderiam ser marcadas por diferentes provas complementares. Objetivo: Verificar se haverá diferenças entre as manifestações linguísticas apresentadas por crianças com o chamado atraso de fala, a partir de provas/testes específicos de avaliação motora da fala. Metodologia: Serão estudados dois grupos formados por crianças com atraso de fala, que apresentam processos fonológicos persistentes, mas um dos grupos será composto por crianças que possuem inventário fonético e fonológico reduzido. Serão realizados testes/provas de diadococinesia oral, repetição de palavras multissilábicas, frase lexical, inconsistência e cálculo da Porcentagem de Consoantes Correta (PCC-r) e Porcentagem Correta de Róticos (PCR), que tratam de provas motoras da fala. Um tratamento estatístico descritivo e inferencial dos dados será feito a partir da Análise de Clusters. Esperam-se contribuições para a discussão da relação entre o motor e o simbólico no contexto da aquisição fonológica, bem como o fornecimento de parâmetros que possam diferenciar grupos de crianças com alteração de fala. (AU)