Busca avançada
Ano de início
Entree

Ativação na anidrase carbônica na extinção do medo condicionado em ratos

Processo: 18/08099-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Rosana Mattioli
Beneficiário:Bruna Silva Marques
Supervisor no Exterior: Patrizio Blandina
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Università degli Studi di Firenze, Itália  
Vinculado à bolsa:16/00557-3 - Influência do sistema histaminérgico cerebelar na aprendizagem motora e memória emocional em camundongos, BP.DR
Assunto(s):Memória emocional

Resumo

As anidrases carbônicas (ACs, EC 4.2.1.1) catalisam a interconversão entre o CO2 e o bicarbonato, assim como outras reações hidrolíticas. Pelo menos 16 diferentes isoformas de alfa-CA foram isoladas em mamíferos, onde estas enzimas desempenham papéis fisiológicos cruciais como regulação do pH, transporte de CO2 e HCO3, reabsorção óssea, gliconeogênese, ureogênese e lipogênese. Além disso, alguns estudos sugerem que CAs também podem influenciar na formação da memória do medo. É importante ressaltar que as respostas autonômicas do medo, como o comportamento de congelamento, o aumento da freqüência cardíaca e da respiração, podem ser reduzidas pela apresentação do estímulo condicionado na ausência do estímulo incondicionado, um processo chamado de extinção. Neste trabalho, esperamos que o processo de extinção de memória seja mais robusto e duradouro em animais tratados com D-fenilalanina, um ativador da anidrase carbônica. Para isso, serão utilizados ratos Wistar machos, pesando entre 180 e 200g, mantidos em ambiente termorregulado. Os animais receberão uma injeção intraperitoneal de solução salina ou D-fenilalanina e, 90 segundos depois, serão colocados em uma câmara de condicionamento com choque nos pés três vezes com 30 segundos de descanso entre eles. Vinte e quatro horas após o condicionamento do medo, os ratos serão colocados na câmara de condicionamento por 30 minutos sem choque e retornados à caixa de alojamento para avaliar a extinção. Vinte e quatro horas depois, os ratos serão colocados na câmara de condicionamento por 3 minutos sem choque e retornados à caixa para avaliar a retenção. Sete e quinze dias após o procedimento, os animais serão novamente colocados em câmara de condicionamento por 3 minutos sem choque para medir a duração da extinção do comportamento. A duração do congelamento será medida em cada estágio. A análise estatística inclue o teste de homogeneidade e análise de variância multifatorial (ANOVA), seguida pelo teste de múltiplas faixas de Duncan. O nível de significância será estabelecido em P <0,05.