Busca avançada
Ano de início
Entree

Construção de um clone infeccioso para o Vírus Chikungunya deficiente para o sítio de clivagem da furina para a produção de partículas não infecciosas

Processo: 18/11939-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 10 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 09 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Benedito Antônio Lopes da Fonseca
Beneficiário:Danillo Lucas Alves Espósito
Supervisor no Exterior: Beate Kuemmerer
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universität Bonn, Alemanha  
Vinculado à bolsa:17/19137-7 - Estudo de partículas imaturas do vírus Chikungunya - avaliação de infectividade, utilização como ferramenta diagnóstica e elaboração de vacinas, BP.PD
Assunto(s):Alphavirus   Virologia   Febre de Chikungunya

Resumo

A recente epidemia causada pelo vírus chikungunya (Alphavirus, Togaviridae) em todo o mundo demonstrou que, apesar de ter sido isolado pela primeira vez na década de 1950, a infecção causada por esse vírus ainda possui vários pontos a serem elucidados. Dentre esses pontos, o diagnóstico correto da doença causada pelo vírus, possíveis tratamentos e, mais ativamente, a prevenção da infecção. O vírus, que, apesar de apresentar uma baixa viremia, produz sintomas como febre alta, mialgia, exantema e artrite / artralgia (que pode persistir por meses ou anos), e gera um grande impacto econômico na saúde pública.O presente projeto tem como objetivo a construção de um clone infeccioso do vírus chikungunya com uma mutação específica que substitui o sítio de clivagem da furina, presente na região da proteína estrutural. O clone infeccioso será produzido após amplificação e montagem do genoma viral completo, e o sítio de furina será substituído por mutagênese sítio-dirigida in vitro. As partículas não infecciosas resultantes serão analisadas quanto à atenuação viral, avaliando a infecciosidade em células Vero e Hela (ensaios in vitro) para determinar seu potencial uso como candidato vacinal.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.