Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de óleo essencial de gengibre em revestimento nanoestruturado para recobrimento de mamão: avaliação de perfil de compostos voláteis, patógenos e deterioração pós-colheita

Processo: 18/10657-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 21 de julho de 2018
Vigência (Término): 20 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Processamento de Produtos Agrícolas
Pesquisador responsável:Marcos David Ferreira
Beneficiário:Marcela Miranda
Supervisor no Exterior: Elizabeth Baldwin
Instituição-sede: Embrapa Instrumentação Agropecuária. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Citrus and Other Subtropical Products Research, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/23419-5 - Aplicação extratos de gengibre como fungicida natural em revestimentos nanoestruturados na conservação pós-colheita de mamão, BP.DR
Assunto(s):Pós-colheita   Conservação de alimentos   Ceras   Carnaúba   Microemulsão

Resumo

O mamão é de importância econômica para o Brasil (segundo maior produtor mundial), porém, este fruto é muito perecível, com alta perda de peso, rápido amadurecimento e senescência acelerada. É um fruto climatérico, com picos climatéricos de etileno e respiratório, e é altamente suscetível a fitopatógenos pós-colheita. Revestimentos comestíveis são considerados alternativas atrativas para a preservação de frutos, pois podem fornecer uma barreira eficiente contra gases, reduzir a perda de umidade e, em alguns casos, atuar como um agente antimicrobiano. A cera de carnaúba é comumente usada para revestimentos de frutas, pois é uma barreira efetiva para a perda de água. Estudos recentes relatam revestimentos de carnaúba, normalmente aplicados como microemulsões, formulados em formato nanoestruturado. Desenvolvimento, caracterização e aplicação de revestimentos de nanoemulsão de cera de carnaúba foi tema de investigação anterior (mestrado da candidata), e estes revestimentos são mais adequados à incorporação de óleo essencial devido a micelas lipídicas de menor tamanho na estrutura de revestimento. Adicionalmente, hidroxipropilmetilcelulose (HPMC) é um polissacarídeo com boa capacidade filmogênica, e os revestimentos feitos a partir deste material possuem propriedades significativas de troca gasosa. A combinação de lipídios e polissacarídeos pode resultar em melhoria das propriedades, refletindo as vantagens de ambos os materiais, com funções de barreira a água e gases, respectivamente. Além disso, a adição de extratos antimicrobianos de gengibre em nanoemulsão de cera de carnaúba/HPMC- matrix possui o potencial de reduzir a deterioração do produto. Diversos óleos essenciais foram testados contra patógenos pós-colheita de mamão, embora sejam necessários mais estudos sobre sua aplicação em revestimentos. Revestimentos comestíveis podem afetar o sabor, o perfil de aroma e a criação de off-flavor em frutas. As compreensões de como os revestimentos afetam a produção e a retenção de sabor em mamões intactos é importante para o desenvolvimento de formulações de revestimento apropriadas. Portanto, o principal objetivo é desenvolver revestimentos comestíveis antimicrobianos que possam manter a qualidade, reduzir a degradação e prolongar a vida útil de mamão. Os efeitos do revestimento no perfil de compostos voláteis de aroma, em patógenos e deterioração pós-colheita de frutos serão avaliados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias: (1 total)
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.