Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da disfunção cervical no senso de posição articular, tontura e equilíbrio de pacientes com migrânea

Processo: 18/12024-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Débora Bevilaqua Grossi
Beneficiário:Gabriela Ferreira Carvalho
Supervisor no Exterior: Arne May
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University Medical Center Hamburg-Eppendorf (UKE), Alemanha  
Vinculado à bolsa:17/07482-1 - Posturografia computadorizada dinâmica em pacientes com Migrânea, BP.PD
Assunto(s):Fisioterapia   Enxaqueca sem aura   Tontura   Equilíbrio postural

Resumo

A migrânea é frequentemente associada à alterações do equilíbrio, sintomas vestibulares e disfunção cervical. É especulado que os sintomas vestibulares e de desequilíbrio apresentam origem central, e não periférica, no sistema nervoso. No entanto, está estabelecido que disfunções cervicais estão associadas às alterações na propriocepção, desequilíbrio e tontura. Objetivo: Investigar a influência da disfunção cervical na cinestesia craniocefálica, autorrelato de desequilíbrio, quedas, agilidade e sintomas vestibulares em pacientes com migrânea. Métodos: Pacientes consecutivos de um ambulatório de cefaleias de um hospital universitário serão incluídos, se elegíveis de acordo com os critérios de inclusão e exclusão. Os pacientes serão distribuídos em grupos de acordo com a presença de dor durante a pressão manual da coluna cervical superior descrita a seguir: a) grupo sem dor cervical, b) grupo com dor cervical local e c) grupo de dor irradiada para a cabeça. Um examinador cego irá entregar para o paciente um questionário contendo aspectos relacionados à migrânea, dor cervical, sintomas vestibulares, quedas e desequilíbrio. O questionário Neck Disability Index (NDI-G) e o Dizziness Handicap Inventory (DHI-G) serão também aplicados. A seguir, os pacientes irão realizar o teste de erro de posição articular cervical (JPSE). Eles serão instruídos a reposicionar a cabeça em uma postura neutra, sem o uso da visão, após movimentos ativos de extensão, rotação à direita e à esquerda. O erro entre a posição inicial e final, medida em cm e graus será considerada, após três repetições de cada movimento. O teste timed up and go (TUG) também será realizado e o tempo em segundos será considerado. O paciente irá levantar de uma cadeira, andar três metros e retornar à posição sentado o mais rápido possível. Os três grupos serão comparados em todas as variáveis com um nível de significância de 5%. Resultados esperados: Os resultados deste projeto irão elucidar o papel das aferências periféricas no senso de posição articular, equilíbrio e sintomas vestibulares. A verificação se existe ou não diferenças na apresentação clínica de pacientes com migrânea de acordo com a disfunção cervical pode contribuir para a adequada avaliação e tratamento clínico de acordo com as necessidades individuais de cada paciente. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARVALHO, GABRIELA FERREIRA; SCHWARZ, ANNIKA; SZIKSZAY, TIBOR MAXIMILIAN; ADAMCZYK, WACLAW MARCELI; BEVILAQUA-GROSSI, DEBORA; LUEDTKE, KERSTIN. Physical therapy and migraine: musculoskeletal and balance dysfunctions and their relevance for clinical practice. BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY, v. 24, n. 4, p. 306-317, JUL-AUG 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.